Aprovado projeto que garante ao consumidor escolha de foro

27/04/2007 - 18:00  

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou ontem, em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 6346/05, do Senado, que torna nulas todas as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos ou serviços que estabeleçam foro de eleição para as ações decorrentes das relações de consumo. A finalidade do projeto é evitar prejuízos ao consumidor.

A relatora, deputada Maria Lúcia Cardoso (PMDB-MG), apresentou parecer pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa do projeto e também do substitutivo aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor. O substitutivo assegura ao consumidor o direito de pedir a mudança do foro para julgamento de ações decorrentes de relações de consumo quando o foro definido prejudicar sua defesa.

O texto aprovado torna nulas as cláusulas contratuais que estabeleçam, para o julgamento de ações decorrentes de relações de consumo, um foro que contrarie as regras do Código de Processo Civil. De modo geral, essas regras determinam que o consumidor será demandado em seu domicílio e demandará o fornecedor no domicílio da sede, da sucursal ou do local da prestação do serviço.

Tramitação
O substitutivo, que altera o Estatuto de Defesa do Consumidor (Lei 8078/90), será considerado aprovado pela Câmara, a menos que seja interposto recurso para a votação da matéria pelo Plenário. Como o projeto aprovado pelo Senado foi modificado na Câmara, o texto deverá voltar para análise dessas mudanças pelo Senado.

Notícias anteriores:
Comissão discutirá repasse de custo de boleto a consumidor
Comissão aprova notificação para corte de serviço público
Defesa do consumidor vai debater tarifas de bancos e TR

Reportagem: Luiz Claudio Pinheiro/SR

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br
SR

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.