Cidades e transportes

Comissão debate impactos da má conservação de rodovias em Roraima na produção agrícola e exportações

25/05/2023 - 07:34  

Divulgação
Trecho da BR-174, em Roraima, em obras

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta quinta-feira (25) sobre a importância da infraestrutura rodoviária de Roraima no agronegócio, na agricultura familiar e nas relações com os países vizinhos. O debate será realizado às 10 horas, no plenário 6.

O deputado Albuquerque (Republicanos-RR), um dos autores do pedido de audiência, lembrou que as relações comerciais Brasil-Venezuela e Brasil-Guiana, via Roraima, se incrementaram muitos nos últimos anos.

"As exportações de Roraima para Venezuela atingiram 274 milhões de dólares, em 2022. Exportamos, carne, dentre outros produtos. Com a Guiana também tivemos um crescimento significativo. Em 2021, as exportações brasileiras cresceram mais de 170%, atingindo, 117 milhões de dólares", disse.

Para Albuquerque, a estrada com a Guiana é importante pois é o caminho mais curto para que os produtos brasileiros cheguem aos países do Caribe e aos Estados Unidos, bem como para que os produtos do norte do país cheguem à Europa.

Rodovia em mau estado
Já o deputado Gabriel Mota (Republicanos-RR), que também pediu a audiência, lembrou que Roraima é um dos estados mais isolados do restante do País.

"Atualmente, sua malha rodoviária conta com seis rodovias federais e diversas estaduais. A principal delas é a BR-174, única rodovia que liga Roraima ao restante do Brasil, e que hoje tem longos trechos sem asfaltos, com buracos e atoleiros expondo motoristas a riscos", reclamou.

Mota afirmou que a BR-174 liga não só Roraima aos outros estados do País pelo sentido sul, mas também o Brasil à Venezuela pelo norte, por isso é utilizada como corredor de exportações para o país vizinho.

Debatedores
Confirmaram presença no debate Pedro Barros, técnico de planejamento e pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e a chefe da Divisão de Colômbia, Guiana, Suriname e Venezuela do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Gabriela Guimarães Gazzinelli.

Da Redação - RS

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.