Trabalho, Previdência e Assistência

Comissão aprova regra de aposentadoria para policial desligado da corporação

Projeto não beneficia os militares desligados por crimes, apenas por infrações disciplinares

13/07/2022 - 17:00  

Elaine Menke/Câmara dos Deputados
Eleição do Terceiro Vice-Presidente da CSPCCO. Dep. Daniel Silveira PTB - RJ
Deputado Daniel Silveira, relator do projeto de lei

A Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que assegura aos policiais e bombeiros militares aposentados, desligados da corporação por falta disciplinar, os proventos correspondentes ao seu posto quando na ativa e o tempo de contribuição acumulado, caso entre em outro regime previdenciário.

Foi aprovado o substitutivo do relator, deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), ao PL 4230/21, do deputado Gurgel (PL-RJ). O substitutivo mantém a ideia original do projeto, com aperfeiçoamentos na redação.

“Se o militar contribuiu durante anos para o seu regime de previdência, o recurso que ele recolheu ao erário lhe pertence”, disse o relator.

“Assim sendo, nada mais justo que, mesmo tendo sido desligado por razões disciplinares, que se veja ressarcido pelas contribuições já feitas pela percepção dos proventos a que faz jus”, completou Silveira. Ele ressaltou ainda que o projeto não beneficia os militares desligados por crimes, apenas por infrações disciplinares.

Conforme a proposta aprovada, o Poder Executivo de cada estado e do Distrito Federal regulamentará as regras de reajuste salarial a que estarão submetidos esses militares.

Todas as regras são inseridas na Lei de Reorganização da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado agora pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta