Plenário

Congresso faz minuto de silêncio por petista assassinado em Foz do Iguaçu

Marcelo Arruda foi morto por bolsonarista enquanto comemorava aniversário com temática alusiva ao ex-presidente Lula

11/07/2022 - 17:57   •   Atualizado em 11/07/2022 - 18:06

Elaine Menke/Câmara dos Deputados
Discussão e votação de projetos. Dep. Afonso Florence PT-BA
Deputado Afonso Florence solicitou a homenagem

O Plenário do Congresso Nacional fez 1 minuto de silêncio nesta segunda-feira (11) em homenagem a Marcelo Arruda, tesoureiro do PT e guarda municipal assassinado em Foz do Iguaçu (PR) na madrugada de domingo (10). Arruda comemorava aniversário de 50 anos com homenagens ao PT e ao ex-presidente Lula e teve a festa invadida pelo bolsonarista Jorge Guaranho, que é policial penal federal. O agressor também foi baleado e está hospitalizado.

O presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), prestou solidariedade à família de Marcelo Arruda e afirmou que o episódio é um crime bárbaro. “As imagens são chocantes, repugnantes. Está mais do que demonstrado que nós não podemos nos render ao ódio e à violência na política ou em qualquer seara da nossa vida”, disse.

Pacheco destacou que é papel das lideranças políticas e das forças de segurança conter a onda de intolerância e preconceito.

Crime político
A homenagem foi solicitada pelo deputado Afonso Florence (PT-BA), para quem Arruda foi vítima de um crime político. “É um cidadão que estava na sua casa, no seu aniversário, com a temática da sua escolha. Isso é uma prerrogativa inquestionável”, disse.

Florence destacou que o minuto de silêncio demonstra que a Casa não concorda com a violência política. “Que esse minuto de silêncio represente também uma manifestação política desta Casa para que a violência política seja estancada imediatamente e que episódios como esse não se repitam em nenhuma condição”, afirmou.

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.