Educação, cultura e esportes

Projeto proíbe Executivo de retirar homenagens prestadas a artistas

Proposta só permite retirar essas homenagens após a aprovação da maioria dos integrantes do Congresso Nacional

09/02/2022 - 12:25  

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Breves Comunicados. Dep. Alexandre FrotaPSDB - SP
Alexandre Frota batizou a proposta de "Lei Zezé Motta"

O Projeto de Lei 3513/21 condiciona a retirada de homenagens prestadas a cantores, atores, escritores, poetas, diretores artísticos, autores, musicistas, pintores, escultores e outros artistas, inclusive estrangeiros, à aprovação da maioria dos integrantes do Congresso Nacional. O texto proíbe o Poder Executivo, por outro lado, de proceder à retirada.

A proposta foi apresentada à Câmara dos Deputados pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP).

Ele argumenta que o Brasil passa por um momento em que, por motivos ideológicos, pessoas com algum poder negam a importância da cultura diversa e retiram homenagens, especialmente na área cultural. “Não pode uma pessoa, por qualquer questão, por vontade própria e única retirar qualquer homenagem já realizada”, critica o autor do projeto.

Alexandre Frota apresentou a proposta motivado por uma decisão da Fundação Palmares, de 2020, de retirar homenagens a personalidades negras vivas e manter apenas os reconhecimentos póstumos.

A lista de retirada incluía o nome da atriz Zezé Motta, que batiza o projeto de lei de Frota. “O nome Zezé Motta justifica-se por todo o importante trabalho realizado por esta artista de várias habilidades culturais e que tem dado contribuições importantes às áreas política e cultural deste País”, justifica Frota.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta