Educação, cultura e esportes

Comissão debate efeitos da pandemia no ensino médio remoto

16/12/2021 - 08:11  

Rogério Uchôa/Agência Pará
Educação - geral - aulas a distância videoaulas ensino professores câmeras transmissão (aluno de música do Instituto Carlos Gomes, em Belém-PA, assiste a videoaulas)
Pesquisa analisou o impacto das aulas virtuais no desenvolvimento dos estudantes

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados promove nesta quinta-feira (16) audiência pública sobre os impactos da pandemia de Covid-19 no ensino médio remoto.

A audiência será realizada às 14 horas, no plenário 12, e poderá ser acompanhada de forma virtual e interativa pelo portal e-Democracia.

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), que propôs a realização do debate, disse que a audiência servirá para o parlamento conhecer a pesquisa feita pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), que com o apoio  do Instituto Vox Populi e do Fundo Malala saíram a campo para ouvir estudantes de 15 a 19 anos, a fim de visualizar um retrato do que aconteceu com eles, entre os anos de 2020 e 2021.

A pesquisa de opinião possui uma amostra de 2003 estudantes, com idade entre 15 e 19 anos, que estavam cursando o ensino médio, ou que haviam abandonado ou parado de estudar em 2020.

"As consequências da pandemia nos mecanismos de aprendizagem foram igualmente observadas (na pesquisa): as emoções, a necessidade de trabalhar, a falta de atividades extraescolares, a concessão irregular da alimentação escolar, o medo de voltar às aulas presenciais por conta do temor de se contaminar com a Covid-19", observou a deputada.

Debatedores
Confirmaram presença no debate:
- o subsecretário de Educação do Estado da Bahia, representando o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Danilo Melo de Souza;
- a coordenadora-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda;
- a coordenadora do Coletivo Nacional de Educação da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), Givânia Silva;
- o assessor especial de Políticas Educacionais da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) Weibe Tapeba;
- a assessora política do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) Cleo Manhas; e
- a monitora da Cipó Comunicação Interativa e do projeto Monitorando o Orçamento da Educação (Inesc e Fundo Malala) Bruna Salomão.

Da Redação - RS

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.