Cidades e transportes

Comissão aprova projeto que renova isenção para navegação de carga no Norte e no Nordeste

Proposta prorroga benefício por mais cinco anos

08/12/2021 - 19:25  

Billy Boss/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Prestar esclarecimentos acerca da proposta de Portaria para estabelecer o Regulamento Técnico do Café Torrado. Dep. Elias Vaz PSB-GO
Elias Vaz: proposta beneficia regiões pobres que dependem do transporte fluvial

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que estende, de 8 de janeiro de 2022 para 8 de janeiro de 2027, a isenção do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM) para as mercadorias cuja origem ou destino seja porto localizado nas regiões Norte ou Nordeste, nas navegações de cabotagem, interior fluvial e lacustre.

O Projeto de Lei 1765/19 é do deputado Júnior Ferrari (PSD-PA) e recebeu parecer favorável do relator, deputado Elias Vaz (PSB-GO).

Para Vaz, a prorrogação da isenção é importante porque “beneficia regiões pobres de nosso País e que dependem fortemente do transporte fluvial, em especial, em estados como o Amazonas e o Pará.”

O AFRMM é uma contribuição que incide sobre o frete cobrado pelas empresas de navegação que operam em porto brasileiro. O adicional é devido na entrada do porto de descarga e deve ser recolhido pelo destinatário da mercadoria transportada.

A Lei de Cabotagem concedeu isenção do AFRMM para as regiões Norte e Nordeste por dez anos, até 2007. Posteriormente, a Lei 11.482/07 dilatou o prazo até 8 de janeiro de 2022. A proposta aprovada estabelece uma nova prorrogação, por cinco anos, mas com redução de pelo menos 10% a cada ano no montante total após 8 de janeiro de 2022.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta