Meio ambiente e energia

Comissão rejeita projeto e mantém decreto do governo sobre fiscalização de rodeios

Decreto atribui ao Ministério da Agricultura o papel de avaliar os protocolos de bem-estar animal

17/09/2021 - 13:02  

Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
Deputada Aline Sleutjes (PSL-PR)
Aline Sleutjes recomendou a rejeição da proposta

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados rejeitou a suspensão de um decreto do governo Bolsonaro que atribui ao Ministério da Agricultura o papel de avaliar os protocolos de bem-estar animal elaborados por entidades promotoras de rodeios.

A suspensão foi pedida pelo deputado Célio Studart (PV-CE), autor do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 516/19. Ele alega que o Decreto 9.975/19 desconsidera leis municipais e estaduais, além de decisões judiciais, que baniram algumas práticas de rodeio consideradas prejudiciais aos animais, como a prova de laço.

A rejeição foi recomenda pela relatora do projeto, deputada Aline Sleutjes (PSL-PR). Segundo ela, o Ministério da Agricultura regulamentou em 2019 as modalidades equestres de laço individual, laço em dupla e laço comprido (Portaria 199/19).

“A portaria assegura a proteção dos animais e, mais importante ainda, prevê punições para os casos de descumprimento”, disse.

Sleutjes afirmou ainda que o decreto encontra respaldo jurídico na Emenda Constitucional 96, que permite as práticas desportivas que utilizam animais consideradas manifestações culturais. Desde 2016, o rodeio, a vaquejada e o laço são considerados manifestações culturais nacionais e patrimônios culturais imateriais por força da Lei 13.364/16.

Tramitação
O projeto será analisado agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois seguirá para o Plenário da Câmara.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem - Janary Júnior
Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta