Agropecuária

Comissão discute projeto que cria complexo do Matopiba

Região abrange trechos do Cerrado no Maranhão, em Tocantins, no Piauí e na Bahia

04/08/2021 - 11:15  

Empaer (Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural)
Plantação de algodão
O algodão é uma das culturas da região do Matopiba

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados discute  nesta quarta-feira (4) a criação do Complexo Geoeconômico e Social do Matopiba, previsto no Projeto de Lei Complementar 246/20.

A região abrange trechos remanescentes do Cerrado no Maranhão, em Tocantins, no Piauí e na Bahia, cujas siglas formam o acrônimo Matopiba. E é considerada a fronteira de expansão da agropecuária no Brasil. Até 2022, segundo projeções, representará 16,4% da área plantada no País.

“A proposta visa o desenvolvimento da região e a redução das desigualdades”, explica o autor, deputado Pastor Gil (PL-MA).

"A topografia plana e o baixo custo das terras comparado às áreas consolidadas
do Centro-Sul, levaram alguns produtores rurais empreendedores a investir na então nova fronteira agrícola", afirma o relator do projeto na comissão, deputado Capitão Fabio Abreu (PL-PI), ressaltando que a região destaca-se na produção de soja, milho e algodão.

Segundo o parlamentar, alguns pontos do texto podem ser aprimorados, como o que trata do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Complexo e o que exige licenciamento ambiental prévio de projetos de agricultura irrigada.

 

 

Foram convidados para discutir o assunto com os deputados, entre outros:
- os governadores do Maranhão e do Piauí, respectivamente, Flávio Dino e Wellington Dias;
- o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, César Halum; e
- a chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Territorial
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Lucíola Magalhães.

A audiência será realizada no plenário 5, a partir das 16 horas.

Da Redação - ND

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.