Educação, cultura e esportes

Comissão de Cultura debate ataques a casas de matriz africana

Ataques ocorreram durante perseguição policial ao foragido Lázaro Barbosa de Sousa em municípios de Goiás

28/06/2021 - 08:37  

Tatiana Azeviche/Governo da Bahia
Religião - geral - religiões africanas candomblé Yemanjá iemanjá crenças cultura afro
Constituição Federal garante liberdade culto

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados promove debate nesta segunda-feira (28) sobre recentes ataques e ações violentas contra casas de matriz africana.

A audiência pública ocorre às 16 horas, no plenário 7, com transmissão interativa pelo e-Democracia. Os interessados poderão enviar perguntas, críticas e sugestões aos deputados e convidados.

O pedido para realização do debate é das deputadas do PT Erika Kokay (DF) e Benedita da Silva (RJ). As parlamentares consideraram de "cunho racista" ações policiais perpetradas recentemente contra casas de matrizes africanas na região de Águas Lindas, Girassol, Cocalzinho e Edilândia, localizadas no estado de Goiás.

As deputadas acusam as autoridades de segurança de tentarem vincular as condutas criminosas do foragido Lázaro Barbosa de Sousa aos membros desses centros religiosos. "Isso é fruto do racismo estrutural que não corresponde à religiosidade exercida nesses centros", denunciam as deputadas no requerimento em que pedem a audiência.

Elas também repudiaram afirmações das forças de segurança de que esses locais estariam servindo de abrigo ao infrator. "É extremamente grave que a polícia, durante o arrombamento das portas de umas das casas, tenha feito a vinculação desses  espaços a supostos 'rituais satânicos' que inexistem nas casas de matriz africana, o que apenas constata o total despreparo dos agentes envolvidos, além do racismo estrutural", lamentam as deputadas no documento.

Foram convidados para o debate o secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás, Rodney Rocha Miranda; especialistas e representantes de culturas de matriz africana.

Da Redação - GM

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.