Cidades e transportes

Comissão rejeita revogação de lei que endureceu penas para transporte pirata

Proposta será arquivada, a não ser que recurso aprovado pelo Plenário mantenha sua tramitação

05/05/2021 - 14:56  

Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
Audiência Pública – Devolução da concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). Dep. Hugo Leal(PSD - RJ)
Hugo Leal: “É inaceitável qualquer retrocesso legislativo que fragilize a segurança do trânsito"

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (5) o projeto (PL 4190/19) que revogava a lei que endureceu as penalidades para o transporte pirata.

Como foi rejeitado na única comissão de mérito, a proposta será arquivada. A menos que haja recurso ao Plenário da Câmara para manter a sua tramitação. A proposta é de autoria do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE).

A Lei 13.855/19 alterou a infração para transporte escolar sem autorização, passando de grave (R$ 195,23) para gravíssima (R$ 1.467,35), além de o veículo ser removido ao depósito e o condutor ter registrados sete pontos em seu prontuário.

Transporte escolar
No caso do transporte ilegal de pessoas e bens, a infração mudou para gravíssima e o veículo, que antes era retido para regularização, passou a ser removido ao depósito, além dos sete pontos no prontuário do condutor.

O relator do parecer aprovado foi o deputado Hugo Leal (PSD-RJ). Ele afirmou que a revogação da lei seria um retrocesso. Leal lembrou que a lei é oriunda de uma proposta da Câmara dos Deputados (PL 5.446/16), do deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE).

“É inaceitável qualquer retrocesso legislativo que fragilize a segurança do trânsito, principalmente, quando se trata do transporte escolar, perfil de passageiros mais sensíveis e vulneráveis à violência no trânsito”, disse o relator.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta