Ciência, tecnologia e Comunicações

Câmara cria grupo de trabalho para acompanhar implantação da tecnologia 5G

Coordenadora defende que Brasil fique longe da guerra comercial entre os detentores da tecnologia

16/12/2020 - 19:21  

Najara Araujo/Câmara dos Deputados
Votação de propostas legislativas. Dep. Perpétua Almeida(PCdoB - AC)
Deputada Perpétua Almeida: “O Brasil precisa tirar o melhor proveito de quem pode lhe dar o melhor apoio na implementação do 5G"

A tecnologia 5G é o grande investimento da indústria de telecomunicações na transmissão de dados de internet por celular. A promessa é de uma velocidade muito maior, conexões mais estáveis e a possibilidade de mais acessos simultâneos sem perda da qualidade.

Com a utilização de faixas de radiofrequência, a ideia é aumentar a estrutura da banda larga fixa que vai permitir melhor conexão de internet em estradas, pequenas cidades e locais de pouco interesse comercial. Os benefícios iriam além do celular: carros, eletrodomésticos e câmeras de segurança com acesso à internet poderiam ser conectados mais facilmente.

A previsão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) era fazer o primeiro leilão para a concessão do serviço 5G no Brasil ainda este ano, mas a pandemia do coronavírus atrasou o cronograma. A expectativa, agora, é que a disputa pelas outorgas fique para o fim do primeiro semestre de 2021 e que a arrecadação do leilão chegue a R$ 20 bilhões.

Garantia de acesso
Para acompanhar todo esse processo, a Câmara criou um Grupo de Trabalho formado por 10 parlamentares. A coordenadora é a deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), que acredita ser preciso revisar a legislação de telecomunicações para garantir maior acesso da população ao serviço.

Com tantas vantagens, a implantação do 5G virou uma guerra comercial entre os detentores da tecnologia. Para a deputada Perpétua Almeida, o país deve ficar distante dessa briga.

“O Brasil precisa tirar o melhor proveito de quem pode lhe dar a melhor sustentação, a melhor proposta e o melhor apoio na implementação do 5G. Eu particularmente acredito que o Brasil não pode estar preocupado com os interesses da China ou com os interesses dos Estados Unidos. Nós, no Brasil, temos que estar preocupados com os interesses dos cidadãos brasileiros, como é que nós vamos universalizar internet, banda larga, 5G em preços os menores possíveis para a população brasileira”, disse.

O grupo de trabalho pretende se reunir com representantes dos ministérios das Comunicações e da Ciência e Tecnologia, com a Anatel e com grandes e pequenos provedores de internet.

Reportagem - Cláudio Ferreira
Edição - Roberto Seabra

  • Áudio da matéria

    Ouça esta matéria na Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.