Saúde

Deputados debatem a disponibilidade de medicamentos para intubação

Unidades de saúde já relataram a falta de medicamentos usados para realizar o procedimento

06/08/2020 - 08:49  

Paula Fróes/Governo da Bahia
Saúde - doenças - coronavírus pandemia prevenção tratamento contágio contaminação pacientes UTIs internação tratamento enfermeiros enfermagem profissionais EPIs (Hospital Espanhol, referência no tratamento da Covid-19 em Salvador)
Muitos pacientes graves de Covid-19 precisam se intubados

A comissão externa de enfrentamento à Covid-19 debate hoje a situação dos medicamentos para intubação, procedimento que tem sido usado em pacientes que apresentam quadros graves de Covid-19.

Na intubação, o médico insere um tubo desde a boca da pessoa até à traqueia, de forma a manter uma via aberta até o pulmão e garantir a respiração adequada. Esse tubo é ligado a um respirador, que substitui a função dos músculos respiratórios, empurrando o ar para os pulmões.

Alguns hospitais relataram a falta de medicamentos usados para realizar o procedimento, como sedativos e relaxantes.

Foram convidados:
- os promotores de Justiça integrantes da Comissão de Saúde do Conselho Nacional do Ministério Público, Jairo Bisol e Rafael Meira Luz;
- o presidente do Conass, Carlos Lula;
- o presidente do Conasems, Willames Freire Bezerra;
- representante da Anvisa;
- representante do Ministério da Saúde
- o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos, Nelson Mussolini;
- o presidente-executivo da Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico, Oscar Yazbek Filho;
- o presidente-executivo da Associação Brasileira dos Distribuidores de Medicamentos Especializados, Excepcionais e Hospitalares, Paulo Maia; e
- o presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas, Mirocles Campos Veras Neto.

A reunião será realizada por videoconferência a partir das 14 horas, no plenário 3.

O público poderá acompanhar e participar do debate pela internet.

Da Redação – RL

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.