Política e Administração Pública

Não adianta criar imposto com nome em inglês porque não passa, diz Rodrigo Maia

30/07/2020 - 13:10   •   Atualizado em 30/07/2020 - 13:10

Segundo Maia, não faz sentido a sociedade contribuir com mais impostos e não ter retorno de qualidade

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, acredita que a criação de qualquer novo imposto não passa na Câmara. Segundo ele, a sociedade não quer pagar um novo imposto, e um novo tributo não vai resolver os problemas do País. Maia deu a declaração no evento “O impacto do custo Brasil na competitividade da indústria e do país” sobre reforma tributária, promovido pela Confederação Nacional da Indústria e pela “Folha de S.Paulo”.

“A minha crítica não é em relação à CPMF ou ao imposto digital ou um nome inglês para parecer bonito e enrolar a sociedade. Vamos voltar à mesma equação de anos anteriores”, criticou o presidente.

Segundo ele, não faz sentido a sociedade contribuir com mais impostos e não ter retorno de qualidade dos serviços públicos como educação, saúde e segurança. Maia reforçou que governos do passado cometeram o mesmo erro de aumentar despesas correntes por meio de aumento da carga tributária.

“Não vou discutir a qualidade do imposto. Se o presidente vai mandar, então encaminhe, e a minha opinião é que não passa na Câmara, e como é por meio de PEC [proposta de emenda à Constituição], e PEC eu voto, eu vou votar contra. A sociedade não quer mais imposto”, disse o presidente.

“Se você pegar o documento do BID, você vai ver que todos os países da América Latina cometeram o mesmo erro, aumentaram despesa corrente com aumento da carga tributária”, disse Maia.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.