Segurança

Projeto susta novo decreto que trata de porte de armas de fogo no País

28/05/2019 - 14:24  

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Reunião de líderes. Dep. Paulo Pimenta (PT - RS)
Pimenta diz que o novo decreto contém ilegalidades, assim como o anterior

O Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 296/19 susta decreto do presidente Jair Bolsonaro (9.797/19) que flexibiliza a política nacional de controle de armas. A proposta, de autoria do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), tramita na Câmara dos Deputados.

O decreto foi editado para excluir o direito de porte de fuzis para cidadãos comuns, previsto no Decreto 9.785/19, publicado dias antes. A possibilidade de civis comprarem fuzis foi muito criticada, inclusive no Supremo Tribunal Federal (STF), o que levou Bolsonaro a vetar esta parte do decreto.

Apesar da mudança, Pimenta argumenta que ainda restam ilegalidades no novo decreto. O texto, por exemplo, amplia o direito de porte de arma de fogo para todos os advogados do País. O primeiro decreto restringia o porte às pessoas que de fato exerciam a advocacia.

Para o deputado, o governo exorbitou do seu poder regulamentar nos dois diplomas legais. De acordo com a Constituição, o Congresso Nacional pode suspender a execução de atos que extrapolam o poder regulamentar do governo.

Tramitação
O projeto será analisado em comissões e depois seguirá para o Plenário da Câmara.

Reportagem - Janary Júnior
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: undefined undefined/undefined

Íntegra da proposta