Trabalho, Previdência e Assistência

Aprovação da reforma da Previdência pode gerar crescimento de 2,9% no PIB, diz Marinho

08/05/2019 - 16:04  

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que a reforma da Previdência (PEC 6/19) em análise na Câmara dos Deputados, se aprovada ainda neste ano, poderá levar a um crescimento da economia estimado em 2,9%. Sem isso, a variação do Produto Interno Bruto (PIB), soma dos bens e serviços produzidos no País em um ano, poderá ser de apenas 0,8%. No futuro, sem as mudanças nas aposentadorias e pensões, o cenário é de encolhimento da economia a partir de 2021.

Marinho disse que, considerando cada indivíduo isoladamente, a reforma afeta mais os servidores públicos do que os trabalhadores do setor privado. Cada servidor – no total do Brasil são 1,4 milhão – contribuiria com R$ 157 mil para o esforço de chegar a uma economia de R$ 224 bilhões em dez anos.

Já os 71,4 milhões de empregados no setor privado responderiam individualmente com R$ 11,3 mil, perfazendo no total R$ 807,9 bilhões no mesmo período. O governo espera em dez anos uma economia de R$ 1,236 bilhões com a reforma da Previdência.

O secretário acompanha o ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência pública na comissão especial da reforma da Previdência, que analisa o mérito da proposta do Executivo que muda as aposentadorias e pensões. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, acompanha os debates.

Veja os principais pontos da reforma da Previdência

A comissão especial está reunida no plenário 1.

Mais informações a seguir

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta