Saúde

Comissão rejeita uso de biblioterapia em hospitais do SUS

Como estava sujeita a análise conclusiva em comissões e foi rejeitada pelo único colegiado responsável por analisar o mérito, a proposta será arquivada

24/05/2017 - 15:26  

JORGE SILVAA
Dr. Jorge Silva sugeriu o encaminhamento de Indicação ao Ministério da Saúde, no sentido do uso a biblioterapia no SUS

A Comissão de Seguridade Social e Família rejeitou proposta que estabelece o uso da biblioterapia – ou seja, a prescrição de leitura com fins terapêuticos – nos hospitais públicos e naqueles contratados ou conveniados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A medida estava prevista no Projeto de Lei 4186/12, do deputado Giovani Cherini (PR-RS), que será arquivado. De acordo com Cherini, esse tipo de técnica humaniza o ambiente hospitalar e ameniza até 80% dos sintomas sentidos pelos pacientes, a depender da doença.

O relator da proposta, deputado Dr. Jorge Silva (PHS-ES), reconhece os benefícios da biblioterapia, particularmente para os pacientes com distúrbios emocionais. Porém, para ele, não há necessidade de criação de uma lei para uso do procedimento terapêutico. “Não há obstáculos à utilização desse procedimento nos serviços do SUS”, ressalta.

O relatório de Silva, aprovado pela comissão, é contrário ao PL e pelo encaminhamento de Indicação ao Ministério da Saúde, pedindo que o órgão tome providências no sentido de utilizar a biblioterapia no Sistema Único de Saúde.

Como estava sujeita a análise conclusiva em comissões e foi rejeitada pelo único colegiado responsável por analisar o mérito, a proposta será arquivada.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta