Cidades e transportes

Câmara rejeita incentivo para construir residência popular de até 70 m²

31/01/2017 - 13:26  

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Sessão do Congresso Nacional para análise e votação de vetos presidenciais. Dep. Hildo Rocha (PMDB-MA)
Rocha apresentou voto pela inadequação financeira e orçamentária da proposta

A Comissão de Finanças e Tributação rejeitou, por considerar inadequado financeira e orçamentariamente, o Projeto de Lei 6083/13, do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), que isenta de contribuições previdenciárias quem construir residências populares de até 70 m², mesmo com o uso de mão de obra remunerada.

A lei atual aplica essa isenção apenas quando a construção é feita pelo próprio dono do terreno ou em regime de mutirão.

A medida abrange as companhias de habitação popular (Cohab), os agentes públicos de habitação e os beneficiários de programas habitacionais para construírem de forma isolada ou em associações.

Como a proposta foi considerada inadequada financeira e orçamentariamente ela será arquivada, a não ser que haja recurso para análise pelo Plenário.

Segundo o relator na comissão, deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), a isenção da contribuição previdenciária, mesmo com uso de mão de obra remunerada, acarreta evidente redução da receita de contribuições à Seguridade Social. “No entanto, a proposta não oferece qualquer medida compensatória para tornar fiscalmente neutra a medida apresentada”, disse.

Reportagem - Tiago Miranda
Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta