Meio ambiente e energia

Comissão rejeita projeto que suspende decreto sobre licenciamento ambiental

Autor do projeto afirma que o decreto é inconstitucional, mas o relator entendeu que o texto trouxe maior segurança jurídica aos empreendedores e às autoridades licenciadoras

09/06/2016 - 12:23  

A Comissão de Minas e Energia rejeitou na quarta-feira (1º) proposta que pretende suspender os efeitos do decreto (8.437/15) que define em quais empreendimentos e atividades o licenciamento ambiental será feito pela União. O texto rejeitado é o do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 54/15, do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR).

O autor argumenta que o decreto extrapola o poder regulamentar do Executivo ao transferir para a União o licenciamento de empreendimentos relacionados a rodovias, ferrovias, produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos.

Sérgio Francês/Câmara dos Deputados
Deputados G - K - José Reinaldo
Reinaldo: o decreto trouxe critérios objetivos que evitam as infindáveis discussões sobre a esfera de competência

Ao defender a rejeição do PDC, o relator na comissão, deputado José Reinaldo (PSB-MA), disse que a Lei Complementar 140/11 foi estruturada de forma a organizar as ações administrativas a serem realizadas por cada esfera da federação. Reinaldo lembrou que o decreto apenas regulamenta a lei completar.

“Há que se reconhecer que o decreto trouxe critérios objetivos à distribuição de processos, conferindo maior segurança jurídica aos empreendedores e também às autoridades licenciadoras. Trata-se de melhoria essencial na busca da redução de prazos despendidos com litígios inócuos”, disse Reinaldo, ao propor a rejeição do PDC.

Tramitação
A proposta ainda será analisada pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. O texto, em seguida, será analisado pelo Plenário.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Natalia Doederlein

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PDC 54/2015

Íntegra da proposta