Política e Administração Pública

Deputados criticam projeto que ajusta meta fiscal durante sessão do Congresso

02/12/2015 - 17:00  

Assista ao vivo

Durante a sessão do Congresso, o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) ponderou que a revisão da meta fiscal pretendida pelo governo federal com o PLN 5/15 deve ser analisada tecnicamente, deixando de lado as paixões políticas.

“Esta casa tem o direito de fazer a crítica que precisa ser feita, mas não pode deixar de dar a reposta correta, para que o governo possa pagar suas contas e cumprir suas responsabilidades”, disse há pouco Mattos. “Nessa hora não está em jogo nem Lula, nem Dilma. Está em jogo o Brasil, a sua economia, os seus empreendimentos, a indústria, o comercio e os serviços”, completou.

Partidos de oposição, mesmo assim, continuam a criticar a revisão da meta fiscal no fim do ano. Para o deputado Pauderney Avelino (DEM-AM), o governo gastou mais do que podia e este não é mais o momento adequado para discutir e adequar a meta. “Até poderíamos ajudar, mas não vamos porque o governo foi perdulário. O governo mentiu”, disse Avelino, que comparou o comportamento do governo com o de um alcoólatra.

“O alcoólatra comemora com os seus pares porque está bebendo. Depois falta dinheiro para comprar a bebida e ele mete a mão nos outros, rouba o que tem em casa e aí desarticula a família. Esse governo se acostumou a tomar dinheiro do povo brasileiro. Chega”, enfatizou.

Também crítico à revisão da meta, o deputado Daniel Coelho (PSDB-PE) rebateu as acusações de que a oposição estaria sendo irresponsável. “Irresponsável com o País foi o governo. E agora vem dizer que a oposição é que não tem responsabilidade? Não se trata de reponsabilidade para salvar o País. Trata-se de um projeto para salvar o governo”, rebateu.

O deputado Alberto Fraga (DEM-DF) também disse que o objetivo do PLN 5/15 é salvar o governo. “É como eu matar alguém e depois mudar a lei para tentar dizer que aquilo não é crime”, comparou Fraga. “É isso que o governo quer fazer: mudar a lei para tentar convencer a todos que não cometeu crime de responsabilidade”, acrescentou.

Favorável
A favor da revisão da meta fiscal para permitir um deficit de até R$ 119,9 bilhões este ano, o deputado Wadson Ribeiro (PCdoB-MG) disse que é preciso ter compromisso não só com a responsabilidade fiscal, mas também com a responsabilidade social do País.

“O Brasil é um País que ainda tem muita pobreza e que não pode abrir mão de políticas sociais importantes. O governo tem feito o seu dever de casa. Teve um grande contingenciamento este ano, mas tivemos um problema central que foi a queda vertiginosa na arrecadação do País, e esses elementos tem que ser levados em conta”, opinou Ribeiro.

Mais informações a seguir. 

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Luciana Cesar

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.