Política e Administração Pública

CPI dos Fundos de Pensão marca para dia 20 depoimento de Alberto Youssef

09/10/2015 - 18:41  

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fundos de Pensão marcou para o próximo dia 20 o depoimento mais esperado para a investigação: Alberto Youssef, principal delator da Operação Lava Jato.

O presidente da comissão, deputado Efraim Filho (DEM-PB), quer que Youssef esclareça a relação dele com os fundos de pensão. "Já se sabe de alguns trechos das suas delações premiadas da relação dele e de empresas com os fundos de pensão especialmente no sentido de captar recursos para alavancar empresas que acabaram sendo doadoras de propina para os partidos políticos e para políticos brasileiros."

A CPI dos Fundos de Pensão investiga se houve manipulação política em investimentos com recursos dos fundos de pensão federais: Petros (da Petrobras), Previ (do Banco do Brasil), Funcef (da Caixa Econômica Federal) e Postalis (dos Correios). As operações causaram prejuízos e levaram os fundos a um déficit de mais de R$ 30 bilhões no ano passado.

Melhorias na legislação
Nesta terça-feira (13), a comissão ouve o presidente da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), José Ribeiro Pena Neto, para que ele sugira melhorias na legislação do setor. A reunião está marcada para as 14h30, no plenário 5.

O deputado Efraim Filho afirmou que a CPI deve propor alterações na lei para que a situação não se repita. "Os fundos de pensão hoje são uma verdadeira caixa preta. A legislação é permissiva para que ocorra o aparelhamento das instituições, o tráfico de influência, o direcionamento para negócios suspeitos, então, é absolutamente necessário que a gente aperfeiçoe a legislação."

Na quinta-feira, a CPI dos fundos de pensão se reúne para votar requerimentos.

Reportagem - Geórgia Moraes
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.