Política e Administração Pública

Deputados novatos relatam suas experiências um mês após a posse

Compreensão do Regimento Interno e elevado número de comissões e frentes parlamentares são algumas das dificuldades apontadas por parlamentares que ocupam uma cadeira na Câmara pela primeira vez.

27/02/2015 - 18:49  

Nas eleições realizadas em outubro passado, 198 deputados federais foram eleitos para assumir o mandato pela primeira vez. Passado quase um mês da posse, esses parlamentares falam de suas expectativas e impressões sobre o trabalho na Câmara dos Deputados.

Luis Macedo
Marcelo Aro
Adaptar-se à dinâmica da Câmara foi a maior obstáculo enfrentado por Marcelo Aro neste início de mandato.

Eleito aos 27 anos, o deputado Marcelo Aro (PHS-MG) foi vereador em Belo Horizonte, é líder de seu partido e se mostra impressionado com a dinâmica dos trabalhos na Casa. “Nas terças, no começo da tarde, o Colégio de Líderes decide as matérias que serão votadas. Pouco depois, já temos de emitir nosso voto sobre o assunto", destaca. "Talvez esta tenha sido a minha grande dificuldade neste primeiro mês: adaptar-me à dinâmica da Câmara”, relata.

O deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA) é arquiteto, professor, foi prefeito de Belém e três vezes deputado estadual. Mesmo com experiência na política, ele comenta que enfrenta dificuldades, mas elas estão sendo superadas com a ajuda dos outros quatro deputados do seu partido. “Há um número muito grande de comissões e frentes parlamentares, de modo que a gente tem de se desdobrar. Meus colegas, que têm experiência na bancada, expressam sua solidariedade, orientando-me”, informa.

Regimento
O Regimento Interno da Câmara dos Deputados é apontado como a maior dificuldade dos novatos conforme o deputado Laudivio Carvalho (PMDB-MG), jornalista de ofício. O regimento dita as normas da Casa para o oferecimento de propostas e o trabalho em Plenário, por exemplo. O recém-empossado, que já cobriu eventos jornalísticos no Congresso, revela que está entendendo melhor a forma de trabalho da Câmara, agora que está do outro lado. "As dificuldades existem em qualquer setor novo que você venha a investir. Na política, não é diferente. Estou aqui principalmente para aprender."

Daniel Vilela (PMDB-GO) já exerceu mandato estadual e também destaca o ritmo intenso de trabalho agora como deputado federal. "Acredito que a atuação federal tem mecanismos mais produtivos para o bem-estar daqueles que acreditaram no nosso programa de campanha. Espero poder corresponder com meu estado", afirma.

Conceição Sampaio (PP-AM) é uma das 51 mulheres que integram a bancada feminina. Vice-presidente regional do Partido Progressista, ela se diz otimista com o desafio de estar na Câmara. “Independentemente de estar representando seu estado, os deputados têm um interesse comum, que é o de melhorar a vida do País”, ressalta.

De acordo com a Constituição, o deputado federal é o representante do povo no Congresso Nacional e seu mandato é de 4 anos, não havendo limite para reeleições. Além de elaborar leis, os ocupantes desse cargo são responsáveis por fiscalizar os atos do Poder Executivo; autorizar a instauração de processo contra o presidente e o vice-presidente da República e os ministros de Estado; e realizar a tomada de contas do presidente da República, quando não apresentadas ao Congresso Nacional dentro do prazo.

Reportagem – Idhelene Macedo
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.