Ciência, tecnologia e Comunicações

Satélite do governo dará mais segurança a comunicações, segundo Ministério da Defesa

14/08/2013 - 15:51  

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, informou, nesta quarta-feira (14), que o Brasil está finalizando a seleção da empresa que vai construir e operar o satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas, para prestar serviços ao governo. O dispositivo deverá ser lançado em 2015. Segundo Bernardo, após a privatização das telecomunicações brasileiras (em 1998), todos os dados navegam por satélites privados.

De acordo com o general Sinclair Mayer, do Ministério da Defesa, “o lançamento do satélite certamente dará mais segurança às comunicações brasileiras”. Eles participaram de audiência pública de cinco comissões da Câmara sobre as denúncias de que a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) espionou pessoas e empresas no Brasil, feitas pelo ex-técnico da agência Edward Snowden. Segundo notícias veiculadas pela imprensa, haveria parceria operacional de empresas de telecomunicações e de internet com o governo norte-americano.

Paulo Bernardo informou que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abriu investigação sobre a vulnerabilidade de equipamentos de redes de telecomunicações.

Cabos submarinos
Conforme o ministro, o Executivo está construindo também cabos submarinos ligando o Pais à Europa e à África, para que o tráfego internacional não tenha sempre de passar pelos Estados Unidos. Dentro do Programa Nacional de Banda Larga, o governo também estaria estimulando a construção de data centers locais pelas companhias de telecomunicações.

Para o representante do Ministério da Defesa, um grande avanço para a segurança das comunicações brasileira seria o fortalecimento da indústria nacional de equipamentos de telecomunicações. O general afirmou que iniciativas nesse sentido já estão sendo implementadas.

O representante da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Octavio Carlos Cunha, também acredita que “o domínio da tecnologia empregada nas comunicações é a grande solução”. Na visão dele, a formação em segurança das comunicações deveria fazer parte do currículo escolar.

Versão das empresas
A audiência pública sobre as denúncias de espionagem do governo norte-americano sobre cidadãos brasileiros prosseguirá na próxima terça-feira (20), quando serão ouvidos representantes das empresas de telecomunicações e de empresas de internet.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.