Política e Administração Pública

Presidentes de partidos governistas apoiam plebiscito para orientar reforma política

O governo deve enviar a proposta de plebiscito ao Congresso na próxima semana.

27/06/2013 - 15:43   •   Atualizado em 27/06/2013 - 21:43

Antonio Cruz/ABr
dilma1
A presidente Dilma Rousseff reuniu-se com os presidentes de partidos da base aliada.

Os presidentes dos principais partidos da base do governo decidiram apoiar o plebiscito proposto pela presidente da República, Dilma Rousseff, sobre a reforma política. Eles estiveram reunidos durante três horas com a presidente no Palácio do Planalto nesta quinta-feira.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que também participou da reunião, afirmou que o plebiscito deverá nortear os debates no Congresso. Segundo ele, o financiamento de campanha e o debate sobre o sistema eleitoral devem ser algumas das questões da consulta à população. “O plebiscito vai nortear a reforma, vai balizar, é esse o papel que se espera do plebiscito”, disse.

A maioria dos presidentes dos partidos concordou com a ideia de plebiscito para consultar a opinião da sociedade sobre a reforma política. “O plebiscito permite que a população debata já de imediato as teses, que fixe as diretrizes necessárias para elaboração dos textos do novo sistema político brasileiro. A participação do povo não se limitará a um sim ou um não, a um conjunto de regras propostas”, disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que também esteve na reunião.

PP foi o único a discordar
O presidente do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira (PP-PI), foi o único a discordar publicamente e pedir um referendo. Em ofício a Dilma, ele afirma que a reforma política é muito complexa para ser abordada em plebiscito.

O presidente do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, disse que os partidos precisam compreender a distância entre a sociedade e a representação partidária. “Como se os poderes e os partidos fossem analógicos e a sociedade digital”, disse Campos, possível candidato à Presidência da República. Segundo ele, o povo já mostrou que quer renovar a política no Brasil, e agora é preciso organizar as regras para que essa renovação fortaleça a democracia.

Proposta na próxima semana
O Planalto deve enviar a proposta de plebiscito ao Congresso na próxima semana. O governo aguarda ainda resposta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre qual o tempo mínimo necessário para a realização do plebiscito.

A presidente Dilma ainda se reúne hoje com líderes da Câmara e do Senado da base do governo. Os líderes da oposição deverão ir ao Planalto na segunda-feira (1º).

Participaram do encontro com Dilma Rousseff, os presidentes de partido Eduardo Campos (PSB), Carlos Lupi (PDT), Valdir Raupp (PMDB), Ciro Nogueira (PP), Rui Falcão (PT), Gilberto Kassab (PSD), Alfredo Nascimento (PR), Renato Rabelo (PCdoB), Benito Gama (PTB) e Marco Antonio Pereira (PRB), além dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Aloizio Mercadante (Educação) e o vice-presidente da República, Michel Temer.

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.