Educação, cultura e esportes

Plano nacional incentivará formação de atletas, diz Ministério do Esporte

Ministério do Esporte informou que o governo está definindo um plano nacional para o desenvolvimento esportivo, mas foco atual é a organização das Olimpíadas de 2016.

05/06/2013 - 22:29  

Antônio Araújo/Câmara dos Deputados
Audiência pública para debater a falta de Investimentos na preparação de atletas para os Jogos Olímpicos na cidade do Rio de Janeiro em 2016
Comissão de Turismo e Desporto realizou audiência nesta quarta-feira.

A Comissão de Turismo e Desporto discutiu nesta quarta-feira (5) a falta de investimentos na preparação de atletas para os Jogos Olímpicos de 2016. No evento, o diretor de Excelência Esportiva e Promoção de Eventos da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento, Ricardo Avellar, afirmou que o governo vai investir – além do que já foi previsto no Orçamento – R$ 950 milhões para a organização das Olimpíadas. Desse total, R$ 690 milhões serão investidos em atletas de alto rendimento.

Avellar informou que o governo está definindo um plano nacional para o desenvolvimento esportivo, que vai contemplar a formação de base. Ele disse, no entanto, que o foco no momento é a organização das Olimpíadas.

"A intenção do governo federal é que 2016 seja o início. A partir daí, com o plano para fortalecer, dar caminhos, definir papéis de quem é a responsabilidade da base. Porque a base de cada modalidade é diferente – do tiro, são pessoas mais velhas; da ginástica, são crianças. É [preciso] trabalhar isso individualmente, mas a visão principal é essa: sem base, não tem alto rendimento.”

O Comitê Olímpico Brasileiro, no entanto, espera que o Brasil figure no ranking dos dez melhores do mundo nas Olimpíadas de 2016.

Situação do Flamengo
A audiência também discutiu a situação do Flamengo, um clube tradicional no esporte olímpico que dispensou seus atletas de ponta como forma de continuar mantendo suas escolas de base.

O vice-presidente do Flamengo, Alexandre Póvoa, informou que, quando a nova diretoria assumiu o clube, em janeiro deste ano, encontrou um gasto de R$ 17 milhões por mês e uma dívida de R$ 80 milhões só em impostos. Ele explicou que dispensar os atletas foi uma forma emergencial de sanear as contas, mas assim que o clube puder vai voltar a financiar os atletas olímpicos.

"A preocupação do Flamengo é que, se a gente tiver em 2016 a nossa média de dez atletas de novo nas Olimpíadas, ótimo, excelente”, disse. Para as Olimpíadas seguintes, a expectativa é dobrar esse número.

Falta de estrutura
O deputado Benjamin Maranhão (PMDB-PB) lamentou que, tão próximo da realização das Olimpíadas, várias cidades não tenham um ginásio adequado para a prática desportiva. Ele lembrou que um plano nacional para o esporte vai depender de uma legislação que deve ser discutida pelo Congresso Nacional.

"O plano nacional visaria não só os resultados de uma Olimpíada que já se aproxima em 2016. Mas, principalmente, que o País esteja preparado para eventos futuros, e também para que a nossa juventude busque inspiração no exemplo dos atletas e venha utilizar a prática esportiva como estilo de vida", disse o parlamentar.

Benjamin Maranhão, que sugeriu a audiência desta quarta-feira, cobrou do governo o descontingenciamento das emendas dos parlamentares como forma de garantir que o esporte seja um direito de todos os brasileiros.

Da Reportagem/PT

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.