Relações exteriores

Newton Lima presidirá Representação Brasileira no Parlasul

21/05/2013 - 17:46  

Laycer Tomaz / Câmara dos Deputados
Reunião para instalação da Representação e eleição do presidente e dos vice-presidentes. Novo presidente do parlamento, Dep. Newton Lima (PT-SP)
Lima destacou a necessidade de o Parlasul ser reconhecido pelos chefes dos países do bloco.

A Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul) elegeu, nesta terça-feira (22), o deputado Newton Lima (PT-SP) seu novo presidente. O deputado Renato Molling (PP-RS) e o senador Paulo Bauer (PSDB-SC) ocuparão os cargos de vice-presidentes da representação.

De acordo com o senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da representação desde 2011, a escolha foi feita respeitando a rotatividade entre Senado e Câmara no cargo de presidente e considerando também a diversidade partidária.

O novo presidente da comissão, deputado Newton Lima, defendeu uma atuação protagonista da delegação brasileira no Parlasul independentemente do calendário a ser seguido em Montevidéu, cidade sede do bloco.

Lima destacou ainda a necessidade de o Parlasul ser reconhecido pelos chefes dos países que compõem o Mercosul e da interação da representação brasileira com o Executivo - notadamente com o Ministério das Relações Exteriores e com a Presidência da República. “Nossa expectativa, portanto, é uma ação dinâmica, participativa e envolvente do grupo”, disse.

Newton Lima está no primeiro mandato na Câmara dos Deputados, é engenheiro químico formado pela Universidade de São Paulo (USP). Em 2001 foi eleito prefeito de São Carlos, reeleito em 2004, época em que integrou o conselho de Mercociudades. Também foi reitor da Universidade Federal de São Carlos.

Informar a população
O deputado Renato Molling ponderou que o Mercosul ainda é pouco conhecido e pediu atuação mais intensa dos parlamentares na informação da população. “Se nós quisermos fazer eleições diretas [para escolher os representantes do Parlasul], da maneira como está, vamos ter dificuldades, porque o povo brasileiro ainda não está bem por dentro do que é o Mercosul e qual a sua importância”, disse.

Dois projetos estão em discussão na Câmara (PL 5279/09) e no Senado (PLS 126/11) para regulamentar as eleições do Parlasul. A proposta da Câmara está com a tramitação mais avançada, pronta para ser votada pelo Plenário. Já o projeto do Senado ainda está em análise na primeira comissão, a de Relações Exteriores e Defesa Nacional.

O senador Paulo Bauer (PSDB-SC), vice-presidente do grupo, considerou importante a presença de parlamentares do Sul do Brasil na direção do Parlasul, já que o Mercosul tem uma relação direta com esses estados.

O senador Gim Argello (PTB-DF), que inicialmente disputaria o cargo com Bauer, abriu mão de sua candidatura para que fosse mantido o equilíbrio da chapa diretora, com a participação da Região Sul e de um partido da oposição.

Para o senador Requião, o bloco ganha em importância com a efetivação da Venezuela no Parlasul.

A representação brasileira no Parlasul é composta por 10 senadores e 27 deputados federais. Os representantes têm como atribuição acompanhar e emitir pareceres sobre todas as matérias referentes ao Mercosul, além de promover audiências públicas e solicitar esclarecimentos ou depoimentos de qualquer autoridade ou cidadão.

Da Redação – RCA
Com informações da Agência Senado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 5279/2009

Íntegra da proposta