Educação, cultura e esportes

Deputados cobram explicações para atraso no Estádio Mané Garrincha

No dia 22 serão visitadas as obras no Rio de Janeiro e no dia 29 de abril, as de Recife.

16/04/2013 - 21:34  

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Visita técnica ao Estádio Mané Garrincha para acompanhamento das obras, como parte dos preparativos para a realização da Copa das Confederações de 2013
Parlamentares questionaram aumento do custo da obra, que já passa de R$ 1,2 bilhão.

Preocupados com o adiamento da inauguração do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, que vai abrir a Copa das Confederações de Futebol no Brasil, marcada para daqui a dois meses, deputados da Comissão de Turismo e Desporto foram até a arena nesta terça-feira, em busca de explicações.

A inauguração foi adiada deste domingo (21) para daqui a um mês, em 18 de maio. A justificativa para o adiamento da inauguração é a chuva, que cai no Distrito Federal há duas semanas e impede a instalação da grama.

Os parlamentares consideram que o prazo para a inauguração é apertado e questionaram também o aumento do custo da obra, previsto inicialmente para R$ 750 milhões, mas já passa de R$ 1,2 bilhão.

A reunião com representantes do Governo do Distrito Federal foi tensa, com vários momentos de contestação. O secretário extraordinário da Copa de 2014 do Governo do Distrito Federal, Claudio Monteiro, explicou que não estavam incluídos na licitação itens como gramado, cobertura, cadeiras, tecnologia. “Quando foi feita a licitação, não foram incluídos esses itens entre os serviços a serem prestados pela construtora, porque ela iria terceirizar a compra do gramado, por exemplo, que ela não produz.”

Custo da obra
De acordo com Monteiro, o custo total da obra deve ficar em torno de R$ 1,2 bilhão, mas o custo total do estádio ainda não é conhecido, tendo em vista que é preciso considerar o Recopa, programa de incentivos fiscais para obras voltadas ao evento. “Certamente não vai chegar a R$ 1,7 bilhão”, completou.

O presidente da comissão, deputado Romário (PSB-RJ), assinalou que não concorda com o gasto de R$1,2 bilhão com um estádio, “enquanto enfrentamos problemas de saúde, educação e acessibilidade”.

O secretário acredita, no entanto, que o retorno do investimento poderá ocorrer em 10 anos, com a concessão dos espaços para lojas que farão parte do estádio. Só com a concessão do nome do estádio, a previsão é que se arrecade mais R$ 400 milhões.

Segundo Claudio Monteiro, o somatório de todas as obras que serão feitas até a Copa de 2014 será de R$ 4,5 bilhões no DF.

Mobilidade urbana

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Visita Técnica ao Aeroporto de Brasília
Deputados da comissão estão preocupados com o acesso das pessoas que chegam ou saem do aeroporto.

Sobre as obras de mobilidade urbana, Claudio Monteiro afirmou que essas melhorias não eram promessas para a Copa - informação contestada pelos deputados.

No geral, os parlamentares não ficaram convencidos, como explicou Romário. "A gente discorda de vários pontos. Pelo que, nós deputados, vimos, o estádio não vai ficar pronto. Mas se o secretário garante que vai ficar pronto, a gente acredita. Vamos ver."

Os deputados também foram ao Aeroporto de Brasília, onde as obras de reforma e ampliação devem custar R$ 750 milhões até a Copa de 2014.

O deputado Alexandre Roso (PSB-RS) destaca que a mobilidade urbana é um ponto a melhorar. "Aqui sim fiquei mais convencido de que essa obra vai se realizar e nós vamos ter um aeroporto com condições melhores. Mas a comissão está muito preocupada com o acesso, como as pessoas chegam ou deixam o aeroporto."

Se seu navegador não puder executar o áudio, <a href='http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/audios/13e1897f67f.mp3' _fcksavedurl='http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/audios/13e1897f67f.mp3'>obtenha o áudio</a> e salve-o em seu computador.

Ouça entrevista de Alexandre Roso sobre a visita.

Calendário
No dia 18 de maio está prevista a inauguração do estádio, com a final do campeonato candango de futebol e show da cantora Elza Soares, mas só com a metade da capacidade.

No dia 26 de maio, o Estádio Nacional receberá a abertura do Campeonato Brasileirão, com a partida entre Flamengo e Santos. Nesta partida será aberta a capacidade total do estádio, de 72 mil lugares.

No dia 15 de junho, ocorrerá a abertura da Copa das Confederações, com a partida Brasil x Japão.

Integrantes da Comissão de Turismo e Desporto também vão visitar obras em outras cidades que receberão jogos da Copa das Confederações, em junho. Na segunda-feira (22) será a vez do Rio de Janeiro. E no dia 29, Recife.

Reportagem - Ginny Morais
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.