Segurança

CPI do Tráfico de Pessoas terá apoio da Abin nas investigações

09/05/2012 - 19:50  

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas vai contar com um interlocutor na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para ajudar no trabalho de investigação. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (9) pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o general José Elito Carvalho Siqueira, após sugestão da relatora da CPI, deputada Flávia Morais (PDT-GO).

O general também coordena o Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), constituído pelos órgãos do governo responsáveis por atividades de inteligência, em especial os ligados à defesa externa, segurança interna e relações exteriores.

"A CPI trabalha para identificar os problemas, apresentar um relatório propositivo. Se tivermos a parceria dos órgãos do governo que já lidam nessa área, que conhecem os problemas de perto, com certeza vamos enriquecer o relatório", disse Flávia Rolim.

O presidente da CPI, deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), também defendeu a interlocução com órgãos do governo, incluindo a Polícia Federal e as polícias estaduais, para identificar as mais de 200 rotas de tráfico de pessoas.

Ele citou como alvos de investigação da CPI o mercado da adoção, as denúncias de sequestro de crianças para doação de órgãos na região amazônica e até as escolas de futebol que "exportam" seus talentos para o exterior, além das agências de modelo.

A próxima reunião da comissão está prevista para terça-feira (15).

Reportagem – Luiz Cláudio Canuto/Rádio Câmara
Edição – Daniella Cronemberger

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.