Meio ambiente e energia

Deputados ambientalistas focam esforços para a Rio+20

01/02/2012 - 11:04  

Gustavo Lima
Sarney Filho
Sarney Filho: receio que crises mundiais prejudiquem a realização da Rio+20.

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável vai ser um dos principais nortes dos trabalhos da bancada ambientalista neste primeiro semestre. O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Sarney Filho (PV-MA), considera que a Rio+20, marcada para junho, na capital fluminense, pode impulsionar os debates sobre a necessidade de serem estabelecidos novos padrões de produção e de consumo no mundo.

No entanto, Sarney Filho reconhece que o sucesso da cúpula não está garantido. "Nós temos receio realmente de que possa vir a ser um fracasso. Temos as eleições nos EUA e não sabemos se o presidente vai vir; temos a crise econômica europeia; estamos com problema também nos países árabes; então é possível que não seja o sucesso que almejamos. Mas me parece que o governo está se empenhando, e vai se empenhar, e a Dilma vai partir para um corpo a corpo com os chefes de Estado para fazer com que a Rio+20 seja realmente esse grande encontro para discutir os rumos do mundo neste século 21", afirmou.

Se seu navegador não puder executar o áudio, <a href='http://www2.camara.gov.br/agencia/audios/1353f5935fb.mp3' _fcksavedurl='http://www2.camara.gov.br/agencia/audios/1353f5935fb.mp3'>obtenha o áudio</a> e salve-o em seu computador.

Ouça reportagem da Rádio Câmara sobre o assunto.

O deputado lembra que a Frente Ambientalista já promoveu reuniões temáticas em todas as regiões do País para montar uma agenda a ser levada à Rio+20. Em Cuiabá, o debate foi sobre recursos hídricos; em Recife, sobre energia; em São Paulo, cidades sustentáveis; em Manaus, foi a vez de falar sobre biomas; e, em Porto Alegre, o tema foi a segurança alimentar, relacionado à reforma do Código Florestal.

Leonardo Prado
Giovani Cherini
Cherini: Rio+20 pode ser um marco mundial da questão ambiental.

Engajamento do Congresso
Já o presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, deputado Giovani Cherini (PDT-RS), é mais otimista. Ele acredita que a Rio+20 tem tudo para ser um dos grandes marcos da questão ambiental não só para o Brasil. Por isso, ele considera fundamental um engajamento efetivo do Parlamento e lança uma ideia ousada.

"Desta vez o Parlamento vai participar, porque o Parlamento é a pluralidade da sociedade. Eu inclusive vou sugerir que a Câmara dos Deputados transfira sua sede na Rio+20 para o Rio de Janeiro. Isso é o mínimo que o Parlamento brasileiro tem que fazer com relação à importância da sustentabilidade e da questão ambiental. É a nossa continuidade na Terra que estamos discutindo. É o bem do planeta que estamos projetando", ressaltou.

O foco da Rio+20 será a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza, e o quadro institucional para o desenvolvimento sustentável. Muitos setores criticam a ausência de outros temas considerados fundamentais, como as mudanças climáticas. Uma das estratégias para inserir essas questões será a promoção de eventos paralelos.

O presidente da subcomissão especial Rio+20, deputado Alfredo Sirkis (PV-RJ), considera que o Congresso Nacional precisa ser protagonista no processo. Nesse sentido, Sirkis está organizando um evento para colocar o clima em pauta na semana anterior à do dia 20 de junho, início oficial da Rio+20.

Reportagem – Mônica Montenegro/Rádio Câmara
Edição – Marcos Rossi

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.