Política e Administração Pública

Ministro da Justiça nega investigação contra Palocci

19/05/2011 - 17:10  

Perguntado pelo vice-presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Fernando Francischini (PSDB-PR), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que a Policia Federal (PF) não recebeu nenhuma informação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf, órgão do Ministério da Fazenda) sobre movimentações financeiras do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

“Não há nada contra ele [Palocci], nenhum fato a ser investigado. Aumento patrimonial justificado não é crime. Não vi nenhuma ilegalidade que possa ter investigação”, disse Cardozo. Hoje, o jornal O Estado de S.Paulo publicou que o Coaf teria enviado relatório à PF sobre uma operação financeira suspeita na compra de um imóvel.

Improbidade Administrativa
Francischini disse que vai apresentar proposta para alterar a Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92) para obrigar os agentes públicos a informar, além de declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física, uma declaração das empresas de que faça parte. A proposta também prevê que o agente público fique proibido de celebrar contratos com cláusulas de confidencialidade.

“Acho que as explicações do ministro Palocci só serão suficientes quando ele abrir o sigilo das empresas para as quais ele prestou consultoria”, disse Francischini. “O senhor foi corajoso ao vir enfrentar a comissão depois do que aconteceu ontem”, disse o deputado, em referência à estratégia do governo de não permitir a convocação de Palocci para falar sobre o aumento do seu patrimônio.

O deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP) defendeu o ministro e disse que a comissão deveria convocar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador José Serra sobre a relação do PSDB com o Banco Opportunity.

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.