Educação, cultura e esportes

Educador vê condições favoráveis ao novo PNE

20/05/2010 - 19:13  

O Brasil atravessa condições favoráveis para aprovar um novo Plano Nacional de Educação que garanta mais investimentos no setor e permita elevar a qualidade de ensino. A opinião é do professor Célio da Cunha, consultor da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Ele concorda que o veto aos artigos do primeiro PNE relativos ao financiamento inviabilizaram muitas das metas. Porém, considera que nos anos seguintes houve uma reação a esse modelo e que isso resultou em ganhos para o setor. “O modelo avançou. Hoje temos mais de 98% de matriculados no ensino obrigatório. O ensino médio tornou-se obrigatório e o superior está em expansão”, resumiu.

Cunha acredita que o 2º PNE deverá se voltar para a questão da qualidade do ensino. “Na última década, houve um processo de inclusão educacional muito forte. Hoje temos quase 60 milhões de pessoas em diferentes tipos de escolas, e com isso a pressão pela qualidade aumentou”, disse.

Ele afirma que o retrato da educação uma década atrás era das mães dormindo na porta das escolas para conseguir vagas para os filhos, e que hoje o quadro é outro. “O 2º PNE deverá manter o processo de inclusão e fortalecer as medidas que garantam qualidade”, observou.

Cunha também avalia que o crescimento econômico poderá ajudar nesse processo. “Com o País crescendo 5% ou 6% por ano, é muito mais fácil garantir novos investimentos em educação”, disse. Ele argumenta que se o próximo PNE previr um aumento substancial dos recursos para a educação o governo não terá mais razões para impor vetos.

Reportagem – Roberto Seabra
Edição – João Pitella Junior

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.