Ciência, tecnologia e Comunicações

Ministro defende uso de lan houses para ampliar acesso à internet

Proposta em análise na Câmara permite que o Vale-Cultura seja usado em lan houses.

13/04/2010 - 18:29  

Brizza Cavalcante
O ministro interino da Cultura, Alfredo Manevy, lembrou ainda que o Vale-Cultura poderá ser usado nas lan houses.

O ministro interino da Cultura, Alfredo Manevy, defendeu o uso das lan houses para ampliar e qualificar o acesso à internet pela população. Ele participou de audiência pública, nesta terça-feira, da comissão especial que discute projetos (PL 4361/04 e apensados) que tratam do funcionamento das lan houses.

O ministro interino lembrou ainda que o Vale-Cultura, no valor mensal de R$ 50,00, para trabalhadores com salários de até cinco mínimos, poderá ser usado nas lan houses. A proposta do Vale-Cultura (PL 5798/09) foi aprovada na Câmara e no Senado, mas está em tramitação novamente na Câmara porque os senadores fizeram emendas ao projeto.

Para Manevy, as lan houses têm grande potencial para se tornarem centros de cultura e informação. "Elas podem ajudar numa política pública de qualificação dos usos da Internet no Brasil. Elas podem ter parcerias com as escolas. Podem se transformar em pontos de cultura”, avalia o ministro.

“Acho que nós devemos encarar as lan houses não como parte do problema, mas como parte da solução, e criar um amplo programa de formalização das lan houses, porque há um problema de informalidade, criando incentivos e estímulos e, ao mesmo tempo, induzindo elas a uma relação com cultura e educação", argumenta.

Veja trecho do programa Palavra Aberta da TV Câmara com o relator do projeto que regulamenta as lan houses, Otávio Leite. Para assistir a íntegra, clique aqui.

A comissão especial é presidida pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP) e tem como relator o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ). O relator já adiantou que é favorável à regulamentação das lan houses.

‘Antro de perdição’
Para o presidente da organização não governamental Laboratório Brasileiro de Cultura Digital, Claudio Prado, que também participou do debate, as lan houses não devem ser encaradas pelas autoridades com preocupação.

"A lan house é considerada por muita gente como um antro de perdição porque é perigoso as crianças serem expostas (a conteúdos indevidos), mas as lan houses têm um potencial extraordinário de educação e de troca de informação”, defende Prado.

No seu entender, essa concepção [antro de perdição] não deve prosperar porque eventualmente acontece uma coisa errada nas lan houses, pois “coisas erradas podem acontecer em qualquer lugar”. Ele sustenta que não faz sentido transformar a lan house num “fantasma perigoso”. “Perigo existe pela natureza humana em todos os lugares. A lan house é fantástica para democratizar o acesso, para instruir as pessoas, abrir janelas, para ventilar novas possibilidades, é muito rica", acrescenta.

Cineclubes
“Pode ser um local onde a pessoa aprende a usar a tecnologia pela primeira vez. As lan houses podem oferecer oficinas, inclusive de multimída, estimulando a produção de conteúdos digitais. Nesses espaços podem haver troca de conteúdos nos moldes dos antigos cineclubes, com a exibição de filmes pela internet”, argumenta Cláudio Prado.

O presidente da ONG deu como exemplo o site YouTube, que, segundo ele, em apenas cinco anos, tem levado as pessoas a produzir conteúdos específicos para ele e que conta com cerca de um bilhão de acessos por dia. Ele disse que há muitos municípios sem cinema que poderiam utilizar as lan houses nos moldes dos antigos cineclubes. “As lan houses não são um antro de perdição, mas um antro de esperança. São os campinhos de várzea da cultura digital.”

Laboratórios de informática
O secretário de educação a distância do Ministério da Educação e Cultura (MEC), Carlos Eduardo Bielschowsky, informou que 42 mil escolas do país já contam com laboratório de informática. Até junho, esse número subirá para 70 mil escolas e, até o final do ano, todas estarão conectadas à internet em banda larga.

O secretário reconhece, no entanto, que a escola não dá conta da demanda, principalmente quando há outros públicos fora da escola, e informou que o MEC apoia a regulamentação das lan houses.

Reportagem - Geórgia Moraes/Rádio Câmara
Edição - Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: undefined undefined/undefined

Íntegra da proposta