Economia

Empresários: redução de jornada ampliará a automação da indústria

Executivos defendem redução de tributos sobre a folha de pagamentos para combater a informalidade no mercado de trabalho.

07/04/2010 - 20:11  

Luiz Cruvinel
Michel Temer lembrou aos empresários que há uma proposta intermediária de redução da jornada.

Empresários vinculados ao Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV) manifestaram nesta quarta-feira em reunião com o presidente da Câmara, Michel Temer, preocupação com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 231/95, que reduz a carga de trabalho semanal de 44 para 40 horas. Eles afirmaram que a medida não deverá resultar em aumento do número de empregos, mas sim em maior investimento na automação da indústria. Eles defenderam medidas que combatam a informalidade, como a redução da carga tributária sobre a folha de pagamento.

Segundo o empresário Flávio Rocha, o setor varejista está apreensivo porque considera que a PEC prejudica a competitividade das empresas do País.

Temer explicou aos lojistas a proposta intermediária que apresentou às centrais sindicais e a entidades patronais, de redução gradual para 42 horas semanais sem acréscimo no valor pago pela hora extra, e com previsão de compensação fiscal para as empresas.

O presidente da Câmara lembrou que os líderes partidários irão apresentar uma lista com três ou quatro PECs para serem colocadas em votação ainda neste semestre. Atualmente, há mais de 60 PECs prontas para a análise do Plenário.

Da Redação/JPJ

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PEC 231/1995

Íntegra da proposta