Educação, cultura e esportes

Debatedores dizem que educação é fundamental para a ética

09/08/2007 - 19:34  

Deputados e representantes de entidades da sociedade defenderam, nesta quinta-feira, a importância da educação, no sentido amplo, e do bom exemplo para a difusão de princípios, conceitos e comportamentos éticos. Eles participaram de audiência pública promovida pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar para debater o tema. O encontro - no qual também foi destacada a necessidade de um esforço coletivo para fazer prevalecer uma postura ética nos diversos setores da sociedade - foi uma preparação para o seminário nacional "A Ética na Sociedade Brasileira", programado para outubro.

O deputado Paulo Piau (PMDB-MG), autor da proposta de realização da audiência, disse que o País está como um "trem descarrilhado" e que é preciso colocá-lo nos trilhos. Ele sugeriu que se estabeleça um pacto nacional pela ética, que poderia ser articulado pelo conselho. "O Brasil está se tornando o Brasil do eu e precisamos transformá-lo no Brasil do nós", disse. Na visão do deputado, o caminho para isso é a educação, não apenas formal. "Temos que atingir também o adulto, em um processo educativo de conscientização", assinalou.

Para o presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), José Carlos Cosenzo, o pior dos escândalos é se acostumar a eles. Cosenzo defendeu a necessidade de que a consciência cidadã e os princípios éticos sejam assimilados desde cedo. "Se as crianças não souberem o que é corrupção, amanhã não terão escola, saúde, segurança", disse. Ele acrescentou que uma juventude que não conhece seus direitos dificilmente pode saber o que é ética.

Bom exemplo
Para o integrante da Comissão Brasileira Justiça e Paz, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Fernando Neves, a difusão da ética deve se dar pela educação, mas principalmente pelo exemplo. Ele ressaltou que esse exemplo começa antes da escola - nos lares e pela informação que chega à casa de cada um. Por isso, considera importante a participação da mídia nesse processo. "Os meios de comunicação têm grande responsabilidade na apresentação dos fatos de forma isenta, sem julgamentos precipitados", afirmou.

Para o deputado distrital Paulo Tadeu (PT), representante da União Nacional dos Legislativos Estaduais (Unale) na audiência, é "lamentável" a atuação da mídia hoje, salvo algumas exceções. Ele observou que o papel da imprensa não é só informar, mas também formar, e criticou empresas de comunicação "que ganham milhões do governo A ou B em verba publicitária e se calam diante da corrupção praticada por esse governo".

O diretor do Rotary Internacional, Themístocles Pinho, afirmou que a imprensa precisa ter sensibilidade ética para não apenas mostrar escândalos, mas apontar soluções. "A imprensa tem a missão ética de não esconder a verdade, mas também de mostrar como resolver o problema", disse.

Descrença
O grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro, Waldemar Zveiter, destacou que há uma percepção difusa na sociedade de que a ética não teria espaço no mundo político. Ele defendeu, no entanto, a vinculação entre política e ética, e ressaltou a necessidade de o eleitor saber cobrar dos políticos o cumprimento do programa assumido durante a campanha. Zveiter, que foi ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse que a eventual falta de ética e de moralidade no trato da coisa pública resulta em clima de descrença. Ele destacou que, para a Maçonaria, o pensamento ético deve moldar o sistema de valores que fundamenta uma sociedade justa. "Nem a ética nem a política podem estar restritas a alguns grupos", disse.

Para o presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), pastor Carlos Möller, há uma necessidade urgente de trabalhar a ética e a cidadania, mas ele reforçou que isso não se faz de forma isolada, mas com um grande esforço nacional. O assessor de preparação de líderes do Lions Internacional Aderlon Francisco de Assis Gomes acrescentou que as questões éticas devem ser construídas em todos os níveis da atividade humana.

Leia mais:
Izar: debate aproxima Conselho de Ética da sociedade
Representante de magistrados cobra Justiça mais rápida

Notícias anteriores:
Chinaglia: combate à corrupção é prioridade do 2º semestre
Conselho consolidará propostas de reformulação até julho

Reportagem - Luciana Mariz
Edição - João Pitella Junior

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br
SR

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.