Meio ambiente e energia

Comissão aprova projeto que proíbe uso de abraçadeiras de nylon em castração de animais domésticos

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

08/01/2024 - 12:47  

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Nilto Tatto participa de reunião de comissão
Nilto Tatto relatou a proposta

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1893/23, que proíbe o uso de abraçadeiras de nylon na castração de animais domésticos.

O texto estabelece multa de R$ 2.500 para o veterinário que descumprir a norma, além de outras sanções previstas no código de ética da profissão e em resoluções expedidas por conselhos de medicina veterinária. A multa será aplicada em dobro em caso de reincidência.

O relator, deputado Nilto Tatto (PT-SP), endossou os argumentos do autor, deputado Bruno Ganem (Podemos-SP). “A proposta proíbe uma técnica que é desaconselhada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária e, consequentemente, protege os animais de um sofrimento desnecessário, visto que existem materiais substitutos ao nylon”, destacou Tatto.

Ele ressaltou ainda que o conhecimento científico sobre a senciência animal tem avançado no mundo e, por conta disso, legislações e jurisprudências relacionadas ao direito e práticas que afetam os animais estão sendo aperfeiçoadas, visando o bem-estar das espécies.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será ainda analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Rodrigo Bittar

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 1893/2023

Íntegra da proposta