Educação, cultura e esportes

Comissão aprova projeto que prevê abatimento no Fies para formados que trabalharem no serviço público

Medida beneficia estudantes das áreas da saúde, direito e engenharia

25/09/2023 - 18:42  

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Discussão e votação de propostas. Dep. Moses Rodrigues(UNIÃO - CE)
Moses Rodrigues ampliou o alcance do projeto original

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que prevê abatimento no saldo devedor do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para graduados nas áreas de saúde, direito e engenharia que trabalharem no serviço público. O texto insere dispositivos na Lei do Fies (Lei 10.260/01).

Foi aprovado o substitutivo elaborado pelo relator, deputado Moses Rodrigues (União-CE), para o Projeto de Lei 2659/15, do ex-deputado Wadson Ribeiro (MG), e cinco apensados. O original tratava do abatimento para os formados em nove cursos na área de saúde. O parecer do relator amplia o escopo da proposta.

“O mérito das seis iniciativas é inegável, razão pela qual merecem acolhida”, disse Moses Rodrigues. “No substitutivo, o teor delas foi contemplado o mais possível, com os aperfeiçoamentos, as adaptações e as atualizações cabíveis”, explicou.

Pelo texto aprovado, egressos dos cursos de medicina, biomedicina, ciências biológicas, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina veterinária, nutrição, odontologia, psicologia, serviço social e terapia ocupacional deverão prestar serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS) para contar com o abatimento.

Já os advogados e engenheiros deverão estar a serviço do poder público, diretamente ou por contrato. No caso dos advogados, será necessário prestar atendimento jurídico a pessoas em situação de vulnerabilidade social e de hipossuficiência.

Atualmente, por meio do Fies, criado em 1999, o governo federal paga as mensalidades de estudantes de graduação em instituições privadas de ensino superior, e o beneficiário deve quitar a dívida depois de formado.

A Lei do Fies já prevê o abatimento mensal de 1% do saldo devedor consolidado, incluídos os juros, dos professores graduados em licenciatura e dos formados em medicina que atuam em programas de saúde da família, nas Forças Armadas ou então participaram pelo SUS no atendimento durante a pandemia de Covid-19.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 2659/2015

Íntegra da proposta