CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 95.2021 Hora: 21:32 Fase: EN
Orador: BIA CAVASSA, PSDB-MS Data: 25/08/2021

DISCURSO NA ÍNTEGRA ENCAMINHADO PELA SRA. DEPUTADA BIA CAVASSA.


Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Cidade pantaneira é tomada por incêndios e prefeitura pede ajuda federal.

Fogo consome 261,8 mil hectares do Pantanal em 2021; área devastada se aproxima de recorde do ano passado.

Seis pontes de madeira no Pantanal de MS são destruídas por incêndio.

Sr. Presidente, colegas Deputados e Deputadas, essas foram as principais manchetes dos jornais de Mato Grosso do Sul na última semana. É fogo para todo lado, um clima extremamente seco e muito favorável aos incêndios florestais, o que impacta diretamente a economia, a agricultura, a comunidade indígena e a saúde de nossa população. Estamos vivendo uma mistura de estiagem, altas temperaturas, queda da umidade relativa do ar, talvez uma das maiores que já tivemos.

Nosso bioma está em chamas, o fogo destrói a fauna, flora e tudo o que vê pela frente. Enquanto estamos aqui, nosso Pantanal arde. São várias as frentes de trabalho na tentativa de conter os focos. As cidades que mais sentem esta situação adversa são Corumbá, Ladário, Porto Murtinho, Bela Vista, Água Clara e Três Lagoas. Desde julho o Estado decretou situação de emergência.

No fim de semana, Corumbá, cidade onde nasci, cresci e pela qual tenho muito amor, teve que pedir ajuda ao Governo Federal para combater as queimadas no Pantanal. O fogo aproximou-se de áreas habitadas, deixando a cidade encoberta pela fumaça e cheia de fuligem.

Sabemos que muito se deve à imprudência, mas a polícia está vigilante e alerta, investigando e punindo quem ateia fogo à vegetação.

Faço um apelo ao Presidente desta Casa: que nos ajude no sentido de pautar dois projetos de minha autoria que estão em tramitação. O Projeto de Lei nº 3.001, de 2019, altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, para tornar obrigatória a criação de brigada permanente de combate a incêndios florestais nos Municípios com maiores índices de queimada no País, e o Projeto de Lei nº 1.974, de 2020, objetiva aumentar a pena do crime de incêndio em mata ou floresta. Acredito que menos flexibilizações conscientizam a população sobre não cometer esse crime.

O relógio é nosso inimigo. Precisamos agir por terra, por ar e nos rios. Destinei ao Prevfogo recursos para a compra de uma embarcação que auxilie esse trabalho, mas ainda é muito pouco. Precisamos avançar e investir ainda mais em equipamentos, para atender nossos bombeiros e brigadistas. Agindo rapidamente, evitamos a proliferação veloz do fogo.

Acredito que, juntos, nesse trabalho parlamentar, unindo esforços com o Governo Federal, vamos ajudar a população a enfrentar essa situação trágica que assola nosso querido Mato Grosso do Sul.

Mais consciência, ação e efetividade!

Muito obrigada.