CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 57.2021.B Hora: 10:12 Fase: BC
Orador: ZECA DIRCEU, PT-PR Data: 08/07/2021

 O SR. ZECA DIRCEU (PT - PR. Sem revisão do orador.) - Bom dia, Presidente.
O SR. PRESIDENTE (Cássio Andrade. PSB - PA) - Bom dia.
O SR. ZECA DIRCEU (PT - PR) - Bom dia, demais Deputados e Deputadas e quem está nos assistindo e nos ouvindo pela TV Câmara e pela Rádio Câmara.
Quero dialogar com V.Exas., Deputados, mas quero dialogar hoje principalmente com todos os servidores públicos do nosso País, que estão mobilizados contra a PEC da reforma administrativa, que não é uma reforma, é o desejo de destruir o princípio do serviço público que está na nossa Constituição brasileira, é o desejo de destruir qualquer tipo de possibilidade de o cidadão brasileiro ter no futuro acesso gratuito à saúde, à educação, à segurança pública e a tantos outros serviços públicos importantes.
A cada semana, eu tenho recebido milhares de mensagens dos mais diferentes segmentos de servidores públicos. Por curiosidade, comecei a dialogar com alguns desses servidores públicos, para entender um pouco a realidade deles - acho que isso é uma obrigação de todos nós antes de votarmos a reforma administrativa. E para mim ficou evidente algo que eu já sabia: esses servidores públicos ganham 1.500 ou 2.500 reais.
É uma falácia, é uma mentira, é uma fake new essa história de que servidor público é marajá, de que servidor público ganha muito. É claro que isso pode acontecer em uma ou outra categoria, mas, para a imensa maioria dos servidores públicos, o salário já é muito baixo, se comparado com o pago na iniciativa privada, o salário não é suficiente nem sequer para a sobrevivência do servidor público. E agora nós estamos diante de uma reforma que tem como objetivo destruir direitos, tirar o papel do servidor público, terceirizar grande parte do serviço público no nosso País.
Minha solidariedade aos servidores, que estão mobilizados. Assinei inúmeras emendas nos últimos dias. Estou comprometido a seguir nesse diálogo, nessa luta, que não é, claro, em defesa só dos servidores públicos, é em defesa também, e principalmente, de quem precisa de saúde gratuita, de quem precisa de educação gratuita, de quem necessita de que os serviços públicos funcionem adequadamente no nosso País; é uma luta em defesa de uma Nação que não pode abrir mão do seu papel. Essa reforma administrativa destrói o princípio do papel cidadão da Constituição em relação à necessidade das pessoas.
Obrigado, Presidente.