CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 183.4.55.O Hora: 11h56 Fase: OD
  Data: 11/07/2018

Sumário

Repúdio ao tratamento dispensado aos motoristas pela Viação Expresso Guanabara, no Estado do Ceará. Apoio à pauta de reivindicações da categoria.

O SR. CABO SABINO (Bloco/AVANTE-CE. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, telespectadores da TV Câmara, nosso boa tarde.
Há alguns anos, o transporte rodoviário deste País tem sido tomado por algumas empresas como reserva de mercado.
A gigante Guanabara, empresa carioca, tem abocanhado, em quase todo o País, grande parcela das linhas dos ônibus intermunicipais e interestaduais. Com essa uma prática predatória, elimina as concorrentes de menor porte. Dessa forma, tem agregado linhas e praticamente se tornado a dona da maioria das linhas de transporte interestaduais e intermunicipais em vários Estados.
Com o advento da reforma trabalhista, juntou-se a fome com o desejo de comer. Agora essa gigante do transporte rodoviário estadual simplesmente não se senta à mesa para negociar com os trabalhadores, dificulta a negociação e empurra a categoria dos motoristas de transporte de passageiros intermunicipais e interestaduais para uma greve. Greve essa que vai trazer prejuízos à economia dos Estados; que vai trazer prejuízos às pessoas que utilizam o transporte rodoviário no seu dia a dia; que vai trazer, sem sombra de dúvida, uma série de consequências graves para a população mais carente, que precisa do transporte rodoviário para chegar aos seus destinos, pois não tem condições de pagar a passagem aérea.
Para que as senhoras e os senhores tenham noção, hoje o sindicato pede 3% de reajuste para a categoria, o que não é nada assustador, mas as empresas querem dar 1,69%. Os trabalhadores pedem 10 reais de aumento por mês na cesta básica, mas eles querem dar 2 reais e 25 centavos.
Com relação ao vale-alimentação, a categoria pede 1 real a mais, mas eles querem dar 12 centavos. E, se já não bastasse a jornada de trabalho de 44 horas semanais, agora eles querem reduzi-la para 24 horas e pagar aos trabalhadores de acordo com a jornada cumprida.
O piso, que é de 2.400 reais, eles querem reduzir para 900 reais.
A folga intrajornada de cada motorista, senhoras e senhores, pode ter uma duração máxima de 8 horas diárias. Hoje esse intervalo é de 11 horas, eles querem reduzi-lo para 8 horas.
E mais: há histórico de motoristas que alegam ter passado 45 dias consecutivos sem direito a uma única folga, a não ser o período intrajornadas, colocando em risco a vida de milhares de brasileiros que confiam nessas empresas para serem transportados de um Estado a outro ou de um Município a outro.
O que temos visto, dia após dia, são inúmeros acidentes, não por imperícia, não por uma ação do motorista, mas por uma reação daquele que já exauriu as suas forças físicas e é obrigado, pelo poder do capital das grandes empresas e para não ver a sua família passar fome, a se sujeitar a essas jornadas de escravidão impostas pelas grandes empresas.
No entanto, na hora de conceder a esses trabalhadores seus direitos, prevalece mais uma vez o império do poder, Deputado Carimbão. Negam a esses trabalhadores o que lhes é de direito: um reajuste, para que possam dar a seus familiares condições dignas de sobrevivência. Marcha-se, cada vez mais, para a escravidão dessa categoria!
Contudo, esses homens e mulheres guerreiros não vão abaixar suas cabeças. Nesses 2 dias, já fizeram piquetes em frente a essas empresas e agora marcham para uma greve até que possam se sentar e resolver a situação.
Não se pode dizer, de maneira nenhuma, que o SINTETI tem agido de maneira truculenta. Pelo contrário, tem dado o seu parecer e demonstrado que está pronto para sentar à mesa de negociação. Por outro lado, também tem mostrado que tem força de reação e capacidade, sim, de paralisar. E o grande prejuízo ficará para as donas do mercado, que podemos traduzir num único nome: empresa Guanabara.
Nós alertamos: o Governo do Estado do Ceará também tem que entrar nessa negociação, pois é o detentor das linhas de concessão. Os Estados circunvizinhos do Nordeste também têm que entrar nessa briga, têm que chamar as empresas para negociar. Caso contrário, tudo indica que, neste fim de semana vindouro, não teremos ônibus nas rotas interestaduais do Nordeste, pois a grande companhia Guanabara, que é detentora de todas essas linhas, ficará sem motorista.
Eu espero que assim fique. E, se eu estiver no Ceará, estarei junto com o sindicato paralisando os ônibus.
Muito obrigado.



TRANSPORTE RODOVIÁRIO, OLIGOPÓLIO, GUANABARA, EMPRESA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO, TRANSPORTE DE PASSAGEIRO, RIO DE JANEIRO (RJ), CONCORRÊNCIA ECONÔMICA, ELIMINAÇÃO, LINHA DE ÔNIBUS, AQUISIÇÃO, CRÍTICA, NEGOCIAÇÃO, TRABALHADOR, RECUSA, GREVE, POSSIBILIDADE, PREOCUPAÇÃO, JORNADA DE TRABALHO, REPOUSO SEMANAL, INOBSERVÂNCIA, GOVERNO ESTADUAL, CEARÁ, NEGOCIAÇÃO, PARTICIPAÇÃO, DEFESA.
oculta