CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 157.2.55.O Hora: 11:46 Fase: OD
Orador: ALEXANDRE VALLE, PR-RJ Data: 21/06/2016

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO À MESA PARA PUBLICAÇÃO
O SR. ALEXANDRE VALLE
(PR-RJ. Pronunciamento encaminhado pelo orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, apesar de ser considerada Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro, a cidade de Itaguaí, onde vivo com minha família, não recebe a devida atenção do Governo Estadual há muito tempo.
Se antes dessa terrível crise econômica o descaso já era grande
, agora ficou pior. No momento, o que mais aflige a população é a escalada da violência. Os efetivos das Polícias Civil e Militar não conseguem trazer a sensação de tranquilidade que as famílias necessitam, e cada vez mais pessoas tornam-se vítimas de criminosos.
Com pouco mais de 100 mil habitantes, tornaram-se frequentes os casos de estupro, assaltos e furtos em Itaguaí. A cidade está com medo, assustada também com crimes brutais que têm acontecido com maior frequência.
No início do ano, em janeiro, uma mulher de 31 anos foi violentada até a morte no Bairro de Chaperó. Em abril, os corpos de mãe e filha foram encontrados no Brisamar. Agora em junho, no mesmo bairro, uma jovem, moradora do Bairro Leandro, foi estuprada e estrangulada. Ocorreu ainda a morte de uma mulher, que foi jogada no bueiro de uma escola no Bairro do Engenho
, e o assassinato de um homem por bandidos que o confundiram com policial, após um suposto sequestro-relâmpago dele e de sua esposa, que escapou com vida.
Sras
. e Srs. Deputados, não há nada pior para a população do que o sentimento de impotência, o temor de quem será a próxima vítima. Não há mais bairro tranquilo e seguro em Itaguaí, o que é inadmissível em uma cidade que recebeu e ainda recebe investimentos dos Governos Estadual e Federal por conta do Arco Metropolitano, da empresa Nuclebras Equipamentos Pesados S.A. - NUCLEP, do Porto de Itaguaí, da Casa da Moeda, além de outras empresas e indústrias que operam na cidade.
Todos os dias chegam a mim diretamente, ou através de amigos e pessoas que trabalham comigo, relatos de violência sofrida por moradores de Itaguaí. Como representante do Município nesta Casa, eu venho cobrando ações efetivas para melhorar o policiamento. As pessoas precisam ter mais tranquilidade para sair de casa para estudar, trabalhar, fazer as atividades que necessitam.

Infelizmente, o Governo Estadual não vem cumprindo com a sua responsabilidade de oferecer segurança aos cidadãos e cidadãs de Itaguaí. Desde o ano passado, quando me reuni com o Governador Pezão, até hoje, fiz apelos desta tribuna e formalizei pedidos de urgência no cumprimento da Resolução nº 814, de 2014, que criou o 42º Batalhão de Polícia Militar, no Município de Itaguaí.
Esse batalhão da PM tem que sair do papel
. Os policiais do Batalhão de Queimados, por mais esforçados e dedicados que sejam, não têm braços nem equipamentos para cobrir cinco municípios. A delegacia de Polícia Civil de Itaguaí também necessita de mais investimentos em efetivo, maquinário, melhor infraestrutura para o trabalho de investigação e elucidação de crimes.
Sr
. Presidente, é preciso normalizar os pagamentos e os demais incentivos que as Polícias Militar e Civil perderam. Segurança pública tem que ser prioridade sempre. Também é necessária a mobilização da Prefeitura de Itaguaí, de comerciantes e de empresários no sentido de unir forças em prol da segurança pública.
Temos que cobrar diariamente a instalação do Batalhão de Itaguaí
. A cidade precisa ser monitorada por câmeras de imagem e verificação de veículos roubados. É preciso também coibir o seu crescimento desordenado, melhorar a iluminação pública, a saúde, oferecer oportunidades de educação e emprego a toda a população, em especial à juventude, pois sabemos o quanto tem crescido a apreensão de menores que cometem crimes.
A população de Itaguaí e de outros Municípios reféns da violência têm todo o direito de ir às ruas, exigir que as autoridades competentes tenham atitudes firmes, ações efetivas para combater a violência.
Era o que tinha a dizer hoje e que repetirei sempre que necessário desta tribuna.
Que todas as esferas de poder - municipal, estadual e federal - assumam as suas responsabilidades na área de segurança pública porque a violência que acomete o seu vizinho, o seu amigo ou a sua amiga pode chegar a cada um de nós a qualquer momento.
Vamos agir!

Muito obrigado pela atenção.
Fiquem com Deus.