CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 156.1.55.O Hora: 16:48 Fase: BC
Orador: NELSON MARQUEZELLI, PTB-SP Data: 16/06/2015

O SR. NELSON MARQUEZELLI (Bloco/PTB-SP. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, quero chamar a atenção da Casa para o acordo com a Ucrânia, que é importante para o País, deve continuar firme e com o rigoroso processo de desenvolvimento mútuo, sem o isolamento, que poderá causar grandes desperdícios na distribuição de tudo aquilo que já alcançamos.
Esse acordo é importante para o País. Na Base de Alcântara, a Ucrânia já investiu mais de 1 bilhão de dólares para que a gente possa fazer rapidamente o trabalho de lançamento de foguetes e desenvolvimento dessa tecnologia.
Por isso, quero parabenizá-la por esse acordo e dizer que a Ucrânia é um país bem-vindo no Brasil.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELO ORADOR

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, há poucos anos, a humanidade entrou no século XXI, um século cheio de promessas.
Recentemente completamos 70 anos, desde o final vitorioso da Segunda Guerra Mundial contra o fascismo, e após duas guerras mundiais num período de 30 anos, na primeira metade do século XX, que deixaram na humanidade desastres sem precedentes e dolorosas lições pela falta de inteligência e de respeito às pátrias e às suas soberanias.
Nesse parâmetro, é forte o desejo dos povos de todos os países de estancar as calamidades das guerras, assim como a manifestação do sonho da humanidade de ter um mundo harmonioso, de cooperação, respeito e prosperidade.
Depois das desgraças das guerras, ao lançar esse repto, pelo que conclamam todas as pessoas, os povos experimentaram um despertar do controle de seu próprio destino.
Sr. Presidente, fiz esse introito para propugnar pela busca da paz e da soberania para os nossos irmãos da Ucrânia em toda sua extensão territorial.
A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, da qual sou membro titular, já se manifestou, pelo competente colega Deputado Claudio Cajado, em favor de uma moção que exorta a participação do Governo brasileiro e da Câmara dos Deputados de atuar com afinco para que a Ucrânia possa seguir o seu caminho democrático, fruto da decisão de seu povo, sem intervenção de qualquer outra nação, com a total retirada de grupos paramilitares que infestaram o sagrado solo ucraniano, desiderato de delírio de um líder russo, que se esqueceu das mazelas que seu povo sofreu com a barbárie da Segunda Guerra Mundial.
Nós, brasileiros, somos coparticipes do desenvolvimento da Ucrânia. Temos investimentos que beiram 1 bilhão de dólares, e estamos sob o momento de um tratado de Cooperação de Longo Prazo na Utilização do Veículo de Lançamento Cyclone 4, no Centro de Lançamento de Alcântara, cujo nível de conclusão já corresponde a 80% do total definido de investimentos.
O acordo bilateral com a Ucrânia trabalha com o tema fundamental nesse século: a inovação tecnológica.
Inovação é a alma do progresso nacional e a inesgotável força motriz da prosperidade do País.
Sem inovação estaremos fadados a sermos receptores do desenvolvimento.
A inovação científica e tecnológica abrange muitos aspectos, dos quais a evolução tecnológica é um dos mais importantes.
A inovação tecnológica alavancará nossas empresas, agregará tecnologia nova, processos novos, novas maneiras de produção, de operação e administração para elevar a qualidade e a exploração de nossos produtos, aumentará a competividade no mercado e a capacidade de resistência a riscos, elevando a qualidade e a eficiência de toda a economia nacional, de produtividade de toda a sociedade e da capacidade internacional do Brasil.
Sr. Presidente, o acordo bilateral com a Ucrânia está nos oferecendo todas essas perspectivas e não podemos perder a continuidade dessa nossa exitosa parceria com a Ucrânia.
O acordo com a Ucrânia deve continuar firme e com um rigoroso processo de desenvolvimento mútuo, sem o isolamento que poderá causar grandes desperdícios na distribuição de tudo aquilo que já alcançamos.
Esperamos maturidade de nossos interlocutores com a Ucrânia, para evitar a perda de vultosos investimentos bilaterais em nossos projetos com a Ucrânia.
Era o que tinha a dizer.
Muito obrigado.