CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sessão: 1.2022 Hora: 18:24 Fase: BC
Orador: POMPEO DE MATTOS, PDT-RS Data: 02/02/2022

O SR. POMPEO DE MATTOS (PDT - RS. Sem revisão do orador.) - Obrigado, Deputado Gilberto Nascimento. Minha saudação a V.Exa. e a todos os colegas Parlamentares, Deputados e Deputadas. Sejamos todos muito bem-vindos ao Congresso Nacional, à Câmara dos Deputados, para retomar aquele que é o quarto e último ano desta Legislatura.

Eu estou aqui na Casa, Presidente, há 20 anos. Tenho orgulho de fazer a minha parte. Esses anos em que aqui estive e estou não me fazem mais nem melhor do que ninguém, mas me dão responsabilidade, dever, compromisso e obrigação, que eu assumo com muito prazer, porque faço o que gosto. E quem gosta do que faz não cansa do que está fazendo. Mais do que isso, eu me sinto mais comprometido, mais responsabilizado, tenho um dever a mais do que outros porque estive e estou aqui há mais tempo. Recebi mais votos, mais mandatos, mais ferramentas para lutar em favor do povo gaúcho e brasileiro.

Este ano é o ano do desafio. Nós vamos ter eleição ali na esquina do tempo. Mas nós não podemos ficar esperando a eleição para ver o que vai acontecer. Nós temos, desde logo, que fazer a nossa parte.

Já neste primeiro semestre, nesta semana, semana que vem, neste mês, nós precisamos lutar aqui para fazer o enfrentamento à seca no Rio Grande do Sul. Para os nossos agricultores, lavoureiros, plantadores, o milho se foi, a soja está indo, o arroz também está sofrendo. O gado de leite, toda a pastagem e as famílias às vezes ficam sem água. Então, é um drama muito grande.

Nós precisamos socorrer os nossos produtores, o nosso povo e a nossa gente! Precisamos que o Governo emita uma medida provisória. Estamos cobrando isso, disponibilizando recursos não só para o Sul, mas também para o Centro-Oeste e para o Sudeste, que sofrem com a enchente! O que era a seca no Nordeste agora virou a seca no Sul. E o que era enchente no Sul virou enchente no Centro-Oeste e no Nordeste, inclusive na Bahia.

Enquanto isso, Presidente, fazendo essa luta, nós precisamos já - vai tarde - votar o projeto de lei que concede o 14º salário para os aposentados. Nós ficamos devendo isso no ano passado. Eu vi a prestação de contas do Presidente Bolsonaro, hoje, na abertura dos trabalhos do ano legislativo; do Presidente Lira, do Presidente Rodrigo Pacheco, do Ministro Fux, do STF. Ninguém falou, mas eu falo: o aposentado, o pensionista, há 2 anos, está bancando a família brasileira. O filho está sem renda, o neto está desempregado, e o avô e a avó é que estão pagando a conta. E eles não receberam nada na pandemia! Sessenta milhões de brasileiros receberam 3 mil reais, 4, 5, 6 mil reais. O aposentado, Presidente, não recebeu um centavo.

É importante que nós digamos que isso não é nenhum favor para o aposentado. Nós temos que devolver um pouco do muito que eles fizeram pelo Brasil. Quem levou o Rio Grande nas costas, o Brasil nos ombros, o Brasil nas costas, o Rio Grande nos ombros foram exatamente os trabalhadores de ontem, que são os aposentados e aposentadas de hoje.

Não queremos mais a antecipação do 13º salário, como ocorreu em 2020, de dezembro para maio, em 2021 também de dezembro para maio. Nós não queremos em 2022 a antecipação do 13º de dezembro para maio. Queremos que seja pago o 14º até maio em forma de abono e que o 13º volte a ser em dezembro. Os aposentados precisam, merecem, necessitam e têm direito.

Precisamos aprovar esse projeto.

Muito obrigado.