CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 386.1.55.O Hora: 17:16 Fase: GE
Orador: RONALDO NOGUEIRA Data: 09/12/2015




O SR. PRESIDENTE (Gilberto Nascimento) - Com a palavra o nobre Deputado Ronaldo Nogueira.
O SR. RONALDO NOGUEIRA (Bloco/PTB-RS. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, venho a esta tribuna só para consertar — para que fique registrado nos Anais da Casa — a infeliz expressão utilizada ontem, na reunião do Conselho de Ética, pelo Deputado Fausto Pinato, quando, no desfecho das discussões, fazia uma comparação do julgamento de Jesus Cristo com o que está acontecendo no Conselho de Ética. Ele disse que o julgamento de Jesus Cristo foi um julgamento à toa.
Preciso dizer aqui, Sr. Presidente, primeiro, que não dá para comparar a pessoa de Jesus Cristo com nenhum outro homem deste plano. Refiro-me aos 513 Deputados, entre eles o Presidente da Câmara, Deputado Eduardo Cunha, porque tanto o Presidente Eduardo Cunha quanto os demais 512 Deputados carecem da misericórdia e do amor de Jesus Cristo, como todos os homens.
Além disso, ojulgamento de Jesus Cristo, apesar de injusto — naquele momento, Pôncio Pilatos quis agradar Sinédrio e preferiu condenar um justo a conceder liberdade a um criminoso, chamado Barrabás —, tinha um propósito divino. Jesus Cristo se entregou àquele julgamento e também se entregou ao sacrifício da cruz porque aquilo era parte de um propósito divino.
Então, Sr. Presidente, de forma muito respeitosa, faço aqui uma exortação não somente ao Deputado Fausto Pinato, mas a todos os membros desta Casa, para que evitem equiparar a pessoa de Jesus Cristo, seu nome, seus propósitos, suas obras, seu ministério, seus feitos, sua fala, a qualquer outro homem.
A Bíblia diz que nenhum nome foi dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos senão o nome de Jesus. Esse nome deve ser respeitado por todos, deve ser reverenciado e não trazido a este plano para ser comparado com o de homens que carecem do seu amor e da sua misericórdia.
Era o que eu tinha a dizer, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados.
Obrigado.