CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 386.1.55.O Hora: 14:30 Fase: PE
Orador: GIVALDO VIEIRA Data: 09/12/2015




O SR. PRESIDENTE (Carlos Manato) - Concedo a palavra ao primeiro orador inscrito para o Pequeno Expediente,o Deputado Givaldo Vieira, do PT do Espírito Santo.
V.Exa. tem até 5 minutos
O SR. GIVALDO VIEIRA (PT-ES. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Deputado Carlos Manato, Sras. e Srs. Deputados, o povo brasileiro neste ano de 2015 tem voltado seus olhares de preocupação para o que acontece aqui em Brasília, especialmente para o que se passa nestaCasa. Com esse olhar atento, o nosso povo, que é inteligente, já vem formando algumas posições. Uma delas é a compreensão de que a Presidenta Dilma está visivelmente enfrentando dificuldades de levar àfrente as medidas que precisam ser tomadas para que o Brasil enfrente a crise e possa voltar a crescer.
Neste Parlamento, trabalha-se dia e noite para impedir que a Presidenta consiga aprovar as medidas do ajuste fiscal, que são necessárias. Não se apresentam outras propostas, e ainda a Oposição — tucana e demista —, que trabalha nesse sentido, apresenta as chamadas pautas-bombas, porque o objetivo é inviabilizar o Brasil, é trabalhar para o quanto pior, melhor, para que possam se beneficiar deste quadro ruim para o brasileiro.
Outra percepção do olhar atento do nosso povo é a visão de que esta Oposição cravou no caminho do Brasil uma cunha. E é nesta cunha que o Brasil tem tropeçado e, por isso, tem mostrado dificuldade de sair da crise e voltar a crescer.
Foi esta Oposição que, mesmo indicando voto em outro Deputado, elegeu o atual Presidente da Câmara, que tem dado sustentação a ele e, desde o início, continua flertando com ele, ainda mais agora, em que ele aponta descaradamente no sentido de disparar o processo de impeachment da Presidenta Dilma.
O nosso povo vem percebendo também a trajetória desse senhor, que o remete aos tempos em que ele prestou serviços ao conhecido PC Farias, no escândalo que derrubou o Sr. Collor de Mello. Ele passou por muitos escândalos e denúncias graves. E até o povo diz: Mas, Deputado, ele foi pego com a boca na botija, com aquela dinheirama lá na Suíça, e continua Presidente da Casa, e fazendo o que faz!
E assim ele fez aqui ontem, desrespeitando o Parlamento, atropelando o Regimento, a Constituição Federal, cassando a palavra e impondo um regime de votação secreta. E para quê? Para encobrir os acordos escusos que foram feitos? Certamente fez isso para se proteger na Comissão de Ética, que já o deveria ter julgado e lhe dado um destino.
Srs. Deputados, nós precisamos pensar no Brasil,porque já é claro que o que esta Oposição golpista faz não é pelo Brasil; é pela sanha de chegar ao poder, é o vale-tudo a que estamos assistindo aqui. E o que o povo espera éum comportamento altivo dos seus representantes.
Como se diz no ditado popular, cada um no seu quadrado. Esse senhor não deveria estar aqui neste quadrado da representação política. Deveria estar em outro quadrado, e não comandando um dos mais importantes Poderes da nossa República, e não se utilizando deliberadamente da prerrogativa de Presidente para impor a sua vontade e atender aos seus interesses, atropelando o Regimento Interno, desrespeitando os colegas, interrompendo reuniões de Comissão e tentando todo tipo de medida ardilosa para benefício próprio, para as suas intenções.
Nós continuaremos resistindo. E eu quero fazer uma convocatória ao povo brasileiro e a todos os Deputados, nossos colegas que ainda não estão perfilados junto dessa tropa. Não se trata de defender o Governo da Presidenta Dilma ou o PT. O que nós temos aqui é, de um lado, esse exército das sombras,que emergiu das profundezas para atacar a democracia e o Brasil, comandado pelo representante do maligno neste momento do País. Quem se perfilar desse lado vai se perfilar contra o Brasil. Do outro lado, eu convido que fiquem aqueles que são pela democracia, aqueles que lutaram por um Estado de Direito com regras claras, porque não há fundamento para o impeachment, não há justificativa nem credibilidade para o processo que foi disparado pelo Presidente Cunha.
O que nós temos que fazer aqui é salvar a democracia e cassar o mandato do Eduardo Cunha!
Muito obrigado, Sr. Presidente.
O SR. PRESIDENTE (Carlos Manato) - Eu é que agradeço, nobre Deputado.