CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 290.2.53.O Hora: 15:52 Fase: GE
Orador: JORGINHO MALULY, DEM-SP Data: 25/11/2008




O
SR. PRESIDENTE (Narcio Rodrigues) - Concedo a palavra ao Sr. Jorginho Maluly.
O SR. JORGINHO MALULY (DEM-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente Narcio Rodrigues, Sras. e Sr. Deputados, senhoras e senhores, em primeiro lugar, quero me solidarizar com a população de Santa Catarina pela tragédia por que está passando.
Nós, do Democratas, estamos fazendo uma moção de apoio e pedindo ao Presidente Lula que dê todas as condições para que o Estado irmão possa enfrentar essa tragédia que está vivendo neste momento. Há falta de energia e de medicamentos, dificuldade de acesso à água potável, enfim, tudo aquilo, Deputado Narcio, que quem é do interior sabe como fica difícil conseguir numa situação como essa, em época de chuva.
Por outro lado, Sr. Presidente, aproveitando a presença aqui de muitos delegados, agradeço ao Presidente Arlindo por ter colocado entre as matérias a serem discutidas a PEC nº 549, dos delegados de polícia. (Palmas nas galerias.)
Registro também que hoje, ao chegar ao aeroporto, todos aqueles que vieram a Brasília pela manhã foram carinhosamente recebidos, como se estivessem chegando a Salvador, na Bahia. Mulheres trajadas de baianas entregavam uma fita do Nosso Senhor do Bonfim, já que hoje é o Dia Nacional da Baiana. São Paulo é um Estado que tem muito de sua mão-de-obra constituída por migrantes oriundos do Norte e do Nordeste, principalmente do Estado da Bahia.
Registro meus parabéns pelo Dia da Baiana, uma das referências do turismo nacional para quem visita aquele querido Estado, principalmente a capital, Salvador.
Sr. Presidente, na semana passada, fiz um alerta às autoridades de saúde deste País. Para minha alegria, a Folha de S.Paulo de hoje, na primeira página, publicou que o Instituto Nacional do Câncer voltou atrás na decisão de não mais recomendar o exame de próstata no pré-diagnóstico desse mal que afeta principalmente homens com mais de 40 anos. Fiz o alerta a respeito da gravidade da suspensão desse exame. Trata-se de um câncer que, quando detectado com antecedência, permite uma qualidade de vida muito grande para o paciente. Se diagnosticado tardiamente, fica difícil a cirurgia de grande porte, o que pode levar a conseqüências fisiológicas. Quando o câncer de próstata não é bem cuidado, pode inclusive provocar o surgimento de câncer nos ossos.
Fico feliz porque vi, hoje, no jornal, que houve reconsideração dessa posição pelo Instituto Nacional de Câncer, que passa novamente a recomendar esse exame e a considerá-lo importante. Registro que louvo essa decisão, uma vez que eu já tinha feito o alerta da gravidade dessa postura, na semana passada, aqui desta mesma tribuna.
Sr. Presidente, quero também — vou fazer um discurso maior futuramente — registrar um aniversário importante. Quinta-feira passada, tive a honra de participar, com a colônia japonesa, que é muito forte na comunidade, do aniversário do bairro Primeira Aliança, no Município de Mirandópolis, onde iniciei minha carreira política como Vereador e depois como Prefeito.
Parabenizo, portanto, a comunidade e o bairro Primeira Aliança, na minha querida Mirandópolis, pelos seus 83 anos.
Obrigado, Sr. Presidente.