CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com reda����o final
Sessão: 290.2.53.O Hora: 15:00 Fase: PE
Orador: MANUELA D'ÁVILA, PCDOB-RS Data: 25/11/2008


A SRA. MANUELA D'ÁVILA
(Bloco/PCdoB-RS. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, venho hoje a esta tribuna parabenizar a Comissão de Turismo e Desporto, que juntamente com a Frente Parlamentar do Esporte e com a Frente Parlamentar do Turismo realiza nesta Casa o X Congresso Brasileiro da Atividade Turística.
Parabenizo por essa iniciativa, pois a importância e a relevância da discussão sobre as oportunidades criadas com a realização do maior evento esportivo do mundo em nosso País deve desde já ocupar espaço nos debates sobre o desenvolvimento.
Durante o processo eleitoral deste ano, tive a oportunidade de debater o tema com os porto-alegrenses. Nossa cidade é sede de 2 dos maiores clubes brasileiros, o Internacional, finalista da Copa Sulamericana, e também sede do Grêmio, que está disputando as primeiras colocações do campeonato brasileiro.
Sr. Presidente, não basta às nossas cidades contar com excelentes estádios; é preciso muito mais para recebermos um evento dessa envergadura.
A realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil configura-se como uma oportunidade única para o avanço do planejamento de nosso País e de sua infra-estrutura.
Dezoito Municípios brasileiros já postularam suas inscrições para sediar os jogos dos 8 grupos, além dos treinamentos das 36 delegações, obedecendo ao caderno de encargos e requisitos da FIFA. Isso significa que mais de uma dezena de Municípios terão de adequar suas estruturas urbanas para atender essa demanda.
Só em transporte, o Ministério do Turismo prevê necessidade de investimento de R$38,51 bilhões. Em São Paulo, serão investidos R$15,3 bilhões para construir metrô e corredores de ônibus. No Rio de Janeiro, os investimentos serão de ser R$5,05 bilhões em metrô e corredores de ônibus.
Também serão necessários investimentos nos 67 principais aeroportos do País, que segundo dados preliminares podem chegar à ordem de R$3,89 bilhões, entre 2007 e 2010.
Além disso, 80% dos principais estádios brasileiros candidatos a sediarem a competição necessitam de reformas estruturais, já que a maioria foi construída entre as décadas de 50 e 70.
Esse é o tamanho do nosso desafio, mas também é o tamanho das oportunidades para o desenvolvimento de nosso País.
A Espanha, que em 1992 recebeu as Olimpíadas em Barcelona, renovou sua infra-estrutura e a economia foi substancialmente alavancada. Atualmente, o país recebe 40 milhões de turistas por ano.
Importante lembrar que cada dólar investido no esporte economiza 3 na saúde pública, segundo a Organização Mundial da Saúde.
Encerro Sr. Presidente, lembrando que mais do que um desafio, a realização da Copa no Brasil é uma oportunidade; e esta Casa está cumprindo seu papel ao amparar este debate.
Muito obrigada.