CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 257.3.52.O Hora: 14h4 Fase: PE
  Data: 21/09/2005

Sumário

Inconsistência de declarações do Sr. Paulo Salim Maluf sobre envolvimento do Deputado Nilton Baiano em denúncias de corrupção.




O SR. MANATO (PDT-ES. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, não tenho nenhuma procuração, mas falarei em nome da bancada do Espírito Santo, de 6 mil médicos e de 109 mil eleitores que mandaram para esta Casa um dos mais honrados políticos do Estado, o Deputado Nilton Baiano.
Sentindo-se incomodado com a presença no PP, na época PPB, do Sr. Paulo Maluf, o Deputado Nilton Baiano começou a organizar, conforme publicado na edição do jornal A Gazeta de 26 de fevereiro de 2003, reunião nacional no Espírito Santo para pedir sua saída. A reunião ocorreu em março de 2003. Está aqui o jornal para comprovar que S.Exa. pediu a saída do Sr. Paulo Maluf do partido.
Nas entrevistas que concedia e em reuniões de bancada e partidárias, o Deputado Nilton Baiano pedia a saída de Paulo Maluf. Numa reunião, em São Paulo, o filho de Nilton Baiano, Marcelo de Oliveira — e está aqui no jornal —, em nome da juventude, na presença de Paulo Maluf, pediu a sua saída.
Agora, no dia 13 de setembro, o Deputado Nilton Baiano, conforme consta dos Anais desta Casa, pediu a saída do Sr. Paulo Maluf da legenda.
Sr. Presidente, conhecemos o homem Paulo Maluf — se é que pode ser chamado de homem. Ele é um dos maiores corruptos, se não o maior, do nosso País. Alguns achavam que ele havia desviado 200 milhões de dólares, mas os jornais de hoje mostram que foram 446 milhões de dólares. O filho dele, por exemplo, depositou 500 mil dólares na conta da sogra.
Nilton Baiano, com outros políticos do sul do Estado do Espírito Santo, sempre pediu a saída de Paulo Maluf do PP.
Sabendo que a sua conversa estava sendo gravada, numa atitude covarde, mentirosa e caluniosa, Paulo Maluf afirmou que tinha dado 200 mil dólares, em 1996, para a campanha de Nilton Baiano, que em momento algum se dizia candidato. Chegou a acusar o Deputado de ser sócio de José Carlos Gratz, preso por tráfico de drogas, desvio de dinheiro na Assembléia Legislativa do Estado e corrupção, que não conseguiu se eleger por estar envolvido com obras fantasmas. A CPI do Narcotráfico investigou a vida de José Carlos Gratz,e o nome do Deputado Nilton Baiano nunca foi citado.
Acusar esse Parlamentar capixaba é atitude covarde e mentirosa. Não aceitamos isso.
Para a nossa felicidade, há meia hora o Presidente do PP, Deputado Pedro Corrêa, contou-nos que Paulo Maluf lhe disse, em conversa que mantiveram depois do citado episódio, que não possuía a menor prova contra Nilton Baiano e que fizera apenas um desabafo. Então, que vá desabafar na Polícia Federal! Que vá desabafar onde quiser! Mas não enlameie a imagem desta Casa e a do Deputado Nilton Baiano.
S.Exa. votou contra a PEC nº 40, a taxação dos inativos; contra a medida provisória que deu status de Ministro ao Presidente do Banco Central, Henrique Meirelles; e a favor de salário mínimo maior.
Repito: mesmo sem a autorização expressa do Deputado Nilton Baiano, repudio em seu nome a atitude de Paulo Maluf, a quem peço que faça o que quiser, mas não denigra a imagem do Espírito Santo nem a do Parlamentar Nilton Baiano.
Muito obrigado.


PAULO MALUF, EX GOVERNADOR, SP, DENÚNCIA, CORRUPÇÃO, NILTON BAIANO, DEPUTADO FEDERAL, IMPROCEDÊNCIA, REPÚDIO.
oculta