CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 237.1.53.O Hora: 14h32 Fase: PE
  Data: 12/09/2007

Sumário

Realização da 3ª Surubim Cultural, no Município de Surubim, Estado de Pernambuco. Lançamento do livro Acidentes de Trânsito no Brasil - Atlas de sua distribuição, de autoria da pesquisadora Maria Helena de Melo Jorge e da Profa. Maria Sumie Kiozumi, da Universidade de São Paulo - USP.




O SR. GONZAGA PATRIOTA (Bloco/PSB-PE. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a Prefeitura do Município de Surubim, no Agreste Setentrional de Pernambuco, realiza nesta semana o III Surubim Cultural. Serão 6 dias de festa com vasta programação que inclui a tradicional vaquejada da cidade, evento que acontece há mais de 60 anos e que atrai público de todo o País.
O município inteiro estará mobilizado para receber os visitantes. A previsão é de que de 80 mil a 90 mil turistas acorram à cidade.
As festividades foram iniciadas no dia de ontem, às 5h, com uma alvorada em homenagem ao 79º aniversário de emancipação política de Surubim.
Após a alvorada, uma fanfarra desfilou pelas ruas da cidade e houve queima de fogos de artifício. À tarde, foi realizado um desfile cívico com a participação da Marinha, do Exército, da Aeronáutica, da Polícia Militar de Pernambuco e de escolas municipais, estaduais e particulares. Durante o desfile, houve também exibições de grupos folclóricos.
Hoje, Sr. Presidente, a festa fica ainda mais animada com o show de bandas de forró. As apresentações serão realizadas em palco montado na frente da sede da Prefeitura, na Avenida João Batista.
O III Surubim Cultural continua na quinta-feira, dia 13, no Parque Jota Galdino, com eventos como o futboi (2 times jogam futebol com bois dentro do campo) e um forró pé-de-serra. Sexta-feira, terá início a vaquejada, que só termina domingo.
Expresso a todos os surubinenses, Sr. Presidente, calorosos cumprimentos pela passagem de mais um aniversário de emancipação política do município e pela realização de sua tradicional vaquejada, sem dúvida uma das melhores do País.
Desejo ainda assinalar, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, que a pesquisadora Maria Helena de Melo Jorge, da Universidade de São Paulo, lançou na semana passada , juntamente com a Profa.Maria Sumie Kiozumi, também da USP, o livro Acidentes de Trânsito no Brasil – Atlas de sua distribuição. O Atlas mostra que 98 brasileiros morrem por dia, vítimas de acidentes de trânsito.
O levantamento soma, pela primeira vez, o número de mortos no local do acidente, registrado pelo Departamento Nacional de Trânsito — DENATRAN, e o de pessoas que falecem nos hospitais, em decorrência das lesões sofridas, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Isso significa impressionantes 35 mil mortos a cada ano. Tomando-se como exemplo a explosão do avião da TAM no último dia 17 de julho, em que morreram 199 pessoas, é como se a cada 2 dias a tragédia se repetisse nas ruas e estradas brasileiras.
Os números impressionam e desfazem mitos, como o de que São Paulo é o Estado brasileiro com taxas de acidentes fatais mais expressivas. Em números absolutos, a maioria das ocorrências realmente vem de São Paulo, que tem a maior frota de veículos do Brasil. Mas, quando se leva em conta a população local, o primeiro Estado do ranking éMato Grosso, com 32,1 acidentes com mortes para cada 100 mil habitantes, seguido por Santa Catarina (32), Paraná (31), Mato Grosso do Sul (30,4), Tocantins (30), Goiás (29,4), Espírito Santo (25,8), Rondônia (23,6) e Sergipe (22,1).
O Distrito Federal, Sr. Presidente, está em 10º lugar, com taxa de 22,1. Já São Paulo figura apenas na 17ª posição, com 17,9. O Estado de Pernambuco está na 21ª posição, com 17,2, e por último o Estado da Bahia, com 9,6.
O livro mostra que homens jovens, na faixa de 20 a 30 anos, morrem mais no trânsito. De 4 vítimas fatais, 3 são do sexo masculino. Segundo as pesquisadoras, isso acontece em todo o mundo. Provavelmente, os homens se expõem mais. Explica a Profa. Maria Sumie Kiozumi que o objetivo do Atlas não foi buscar as causas, mas as estatísticas.
O estudo revela também que os pedestres e motociclistas são as principais vítimas de acidentes, sejam eles fatais ou não. Em relação aos pedestres, crianças e idosos correm mais riscos. Segundo as autoras do livro, éimportante saber disso para diagnosticar o público alvo dos programas preventivos.
De acordo com a pesquisadora Maria Helena de Melo Jorge, um dos principais objetivos do Atlas é justamente orientar as políticas públicas. Ela critica as campanhas governamentais pontuais, realizadas apenas durante a Semana Nacional do Trânsito. Para ela, não adianta falar uma vez por ano. Seria importante que a campanha virasse um programa permanente.
Para as autoras do Atlas agora lançado, é importante salientar que, em termos econômicos, prevenir é mais barato que arcar com as conseqüências dos acidentes de trânsitos. Tratar de um paciente com lesão é40% a 60% mais oneroso. A pesquisadora Maria Helena diz que estudo da Organização Mundial de Saúde demonstrou que, no Brasil, são gastos R$3,6 bilhões anualmente em decorrência de acidentes de trânsito. Desses, R$ 477 milhões referem-se a tratamento médico.
Esses estudos, Sr. Presidente, devem servir de alerta a todos que se preocupam com o futuro do trânsito em nosso País.


FESTA, NATUREZA CULTURAL, MUNICÍPIO, SURUBIM, PE. ACIDENTE DE TRÂNSITO, VÍTIMA, MAPA, DISTRIBUIÇÃO, LANÇAMENTO, LIVRO, DADOS, AVALIAÇÃO.
oculta