CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 237.1.53.O Hora: 14h22 Fase: PE
  Data: 12/09/2007

Sumário

Realização, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST, da Marcha pela Reforma Agrária no Estado do Rio Grande do Sul. Conveniência de desapropriação da Fazenda Guerra localizada no Município de Coqueiros do Sul.




O SR. ADÃO PRETTO (PT-RS. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra — MST foi iniciadaontem, 11 de setembro, no Rio Grande do Sul, a Marcha pela Reforma Agrária. Essa marcha é apoiada pelos movimentos da Via Campesina e por movimentos sociais urbanos e se organiza em 3 colunas de militantes, saindo dos Municípios de Eldorado do Sul, que fica próximo de Porto Alegre, Capão do Leão e São Luiz Gonzaga e indo em direção à Fazenda Guerra que se localiza no Município de Coqueiros do Sul.
A marcha tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade gaúcha e das autoridades para a lentidão do processo de reforma agrária, especialmente no Rio Grande do Sul, que tem 2.500 famílias acampadas. A marcha quer contribuir para acelerar esse processo, que conta com várias áreas vistoriadas e processos de desapropriação; no entanto, nada acontece.
Durante a marcha, os militantes das colunas realizarão debates com a sociedade nas cidades por onde passarão, nas escolas, nas igrejas e em outros espaços, mostrando como é um assentamento e o desenvolvimento que traz para toda a região onde se localiza.
Mais de 40 Prefeitos, apoiados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura — FETAG, sindicatos de trabalhadores rurais e Vereadores da região, solicitam a desapropriação da Fazenda Guerra localizada no Município de Coqueiros do Sul.
A Fazenda Guerra é símbolo do latifúndio: com 7 mil hectares, ocupa 30% da área total do Município; no entanto, sua renda não permanece no local. Se for desapropriada, ali poderão ser assentadas mais de 400 famílias, trazendo inclusão social e desenvolvimento para toda a região.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, os Prefeitos e Vereadores apóiam a desapropriação da Fazenda Guerra e são solidários com a luta pela reforma agrária, pois sabem que um assentamento gera desenvolvimento não sópara o município, mas para toda a região, movimentando o comércio local.
A concentração de terra é um entrave para a democracia e para o desenvolvimento do nosso País. Essa marcha é a demonstração da urgência e da importância da realização da reforma agrária no nosso Brasil.
Sr. Presidente, solicito a V.Exa. que autorize a divulgação deste pronunciamento no programa A Voz do Brasil e nos demais meios de comunicação da Casa.
Muito obrigado.


FAZENDAS, MUNICÍPIO, COQUEIROS DO SUL, RS, DESAPROPRIAÇÃO, REFORMA AGRÁRIA, MARCHA, MST, APOIO.
oculta