CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redação final
Sessão: 226.4.51.O Hora: 9h20 Fase: BC
  Data: 05/12/2002

Sumário

Elogio à Deputada Vanessa Grazziotin pelo pronunciamento. Privilégios concedidos aos banqueiros no País. Realização de encontro entre o Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, e os comandantes das Forças Armadas. Contrariedade à indicação do Embaixador José Viegas para o cargo de Ministro da Defesa.




O SR. JAIR BOLSONARO (PPB-RJ. Sem revisão do orador.) – Nobre Deputada Vanessa Grazziotin, parabéns pelo pronunciamento. Realmente os banqueiros são muito privilegiados neste País, onde falta patriotismo. O Presidente Fernando Henrique Cardoso, por exemplo, nomeou Ministro da Defesa um advogado de banqueiro, Dr. Geraldo Quintão, que os defendeu por 38 anos. Apenas nos dois últimos anos esteve à frente da Advocacia-Geral da União.
O Dr. Geraldo Quintão é o responsável pela quantia irrisória que nossos recrutas recebem: 153 reais por mês. É o que consta na última lei de remuneração dos militares. No momento em que se discute um salário mínimo de 220, 240 reais, S. Exa. mandou para esta Casa, segundo a Deputada Vanessa Grazziotin, uma proposta de pequena correção salarial para os recrutas. O general Gleuber Vieira mandou outros 44 mil para a rua, porque não havia verba para lhes dar alimentação e, para minha surpresa, negou-se a encontrar-se com Lula, servindo como porta-voz dos comandantes da Marinha e da Aeronáutica, porque tinha compromisso com Fernando Henrique Cardoso, e considerava ato de deslealdade encontrar-se com o Presidente eleito.
Somente após o Presidente Fernando Henrique Cardoso lhes ter dado sinal verde, os três comandantes de Força vão se encontrar com Lula, no próximo sábado em São Paulo. O agendamento do encontro está sendo feito pelo Embaixador em Moscou, José Viegas, há 7 anos fora do Brasil, que quando estava no Peru tentou a todo custo — atenção, companheiros do PT! —conseguir asilo para Montesinos, o caixa dois de Fujimori. José Viegas está sendo cotado para ser Ministro da Defesa. Pasmem os senhores! Seu amigo íntimo, o irmão de Clóvis Carvalho, é revendedor de armamento russo.O objetivo do encontro com Lula é indicar Viegas para Ministro da Defesa.
O pessoal do Clóvis Carvalho — conhecido por todos os membros do PT — tenta conseguir o Ministério da Defesa. O PT não pode aceitar isso. Confesso publicamente que votei no Lula no segundo turno, porque jamais votaria no candidato do Fernando Henrique Cardoso. No primeiro turno, trabalhei para Ciro Gomes, que perdeu. No segundo, escolhi a opção que considerava a melhor.
Haverá brava crise pela frente, mas mantemos a esperança de dias melhores. Espero que o companheiro Lula — já que está na moda falar assim — consulte os quadros do PT, do PCdoB e de outros partidos para fazer suas escolhas.
No Senado há gente competente, honesta e com caráter para assumir o Ministério da Defesa, que poderá ser entregue a um embaixadorzinho que já demonstrou, ao longo da vida, ser amigo íntimo do Fernando Henrique Cardoso — caso contrário, não estaria há sete anos fora do País. Ele também é o grande intermediário nessas negociatas. Querem transformar o Ministério da Defesa em Ministério dos negócios e das negociatas.
Não tenho como indicar alguém para o Ministério da Defesa. Não faço parte da equipe do Lula nem tenho poder de veto, mas tenho voz nesta Casa. Sugiro até mesmo o nome de José Genoíno, por quem não tenho grande amizade, mas reconheço sua competência. Não faria oposição à possibilidade de S.Exa. ir para o Ministério da Defesa. Também não me oporia se o eleito fosse Aldo Rebelo, do PCdoB. Ambos são competentes. Não quero falar sobre a história de ninguém. Temos de pensar apenas no Brasil daqui para a frente. 
Companheiros do PT, o encontro de sábado é um embuste. O general Gleuber Vieira não tem moral para dizer àtropa que apóia José Viegas para o Ministério da Defesa.
Pretendo contar sua história na próxima semana. Vou falar de suas maracutaias — o Presidente eleito adora essa palavra — com a Assessoria Jurídica Bandeira de Melo, fazendo caixa dois para seus amigos. Tanto isso éverdade que ele mandou um oficial da ativa conversar com o Presidente do TCU para passar minha denúncia. Já estava com o voto pronto — e a confirmação está no contracheque de todos os militares. Ele denunciaráeste Governo a partir de janeiro e pediu que minha denúncia só fosse analisada no próximo ano, porque, de outro modo, não seria objeto de apreciação, mas arquivada.
O general Gleuber Vieira não tem moral para apoiar ninguém para o Ministério da Defesa, porque trabalha agora com esse advogado de banqueiro que massacrou a tropa. E quer indicá-lo para quê? Para ser reconduzido como comandante da Força? Para continuar o trabalho de destruição que Quintão está fazendo, apoiado por Gleuber Vieira.
Apelo para os companheiros do PT, do PCdoB, para pessoas de bom senso do futuro Governo que digam não a José Viegas, esse traidor, amigo de Clóvis, talvez até com metástase com a máfia russa de venda de armamento.
Sr. Presidente, não quero ser Oposição no próximo ano. Não serei Situação pela situação. Desejo um País melhor. Quero evitar uma crise militar, com a possível indicação, na quota de Fernando Henrique Cardoso, de mais um incompetente para o Ministério da Defesa.
Era o que tinha a dizer.


GLEUBER VIEIRA, COMANDANTE, EXÉRCITO, ATUAÇÃO, CRÍTICA. CANDIDATO ELEITO, PARTIDO POLÍTICO, PT, PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, INDICAÇÃO, JOSÉ VIEGAS, EMBAIXADOR, MINISTÉRIO DA DEFESA, CRÍTICA.
oculta